Para estar imune ao HPV é preciso tomar as duas doses da vacina; Somente 239 cidades em todo território nacional têm 80% da cobertura adequada

Dos 5.570 municípios brasileiros, apenas 239 estão com a carteira de vacinação contra o vírus do HPV em dia. Esse número corresponde ao equivalente a 4% de todo território nacional. Essas informações foram divulgadas nesta quarta-feira (15), pelos ministérios da Saúde e Educação.

Leia também: Ministério da Saúde anuncia novo remédio contra a Aids para o SUS em 2017

Ministro da Saúde, Ricardo Barros, fala sobre  a importância da imunização ao HPV
José Cruz/ABr
Ministro da Saúde, Ricardo Barros, fala sobre a importância da imunização ao HPV

Segundo os dados, para garantir cobertura adequada contra o vírus, é necessário ter 80% ou mais das meninas de 9 a 14 anos com esquema vacinal do HPV completo, ou seja, que tomaram as duas doses necessárias. Em números absolutos, isso significa que 5,5 milhões de meninas não estão completamente protegidas.

O Ministério da Saúde informou que 92,4% das meninas tomaram a primeira dose e 55% a segunda, garantindo a imunização . Se considerados os municípios, 2.403 (43%) têm cobertura baixa, com 50% a 80% das meninas com o esquema completo; e 2.906 (52%)  cobertura muito baixa, até 50% de meninas que tomaram as duas doses.

"São 16 mil mulheres que têm cânce r provocado por HPV, desses casos, são registradas 5 mil mortes por ano. Portanto, a vacinação é fundamental para diminuir o impacto na saúde dos brasileiros", enfatizou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

De 2014 a 2016, 5,8 milhões de meninas de 9 a 14 anos foram imunizadas com as duas doses, o que equivale a 55% do total dessa faixa etária. A meta da pasta é chegar a 80%.

Campanha deve ser feita nas escolas

Para reforçar a importância e tentar alcançar mais meninas, os ministérios da Saúde e da Educação reforçaram parceria e lançaram hoje campanha publicitária e de conscientização. Além disso, haverá vacinação nas escolas. Serão distribuídas 10,5 milhões de doses contra o HPV para vacinar 8,3 milhões de meninas e meninos – incluídos este ano no esquema de vacinação. 

Os ministérios têm parceria permanente pelo programa Saúde na Escola, e que gerou resultado positivo com grande parte das meninas recebendo a primeira dose. Agora as pastas querem reforçar o compromisso e ampliar também a aplicação da segunda dose.

A campanha será em escolas públicas e privadas. "Vamos mudar o enfoque. Levar essa vacina para aonde o adolescente está é fundamental para essa cobertura", ressaltou a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações substituta, Ana Goretti Maranhão.

Leia também: Saúde anuncia novas regras para repasse de recursos federais

Meninos também deverão ser imunizados

A ampliação da cobertura para garotos este ano inclui meninos de 12 e 13 anos. A faixa etária será ampliada até 2020, quando chegará a meninos de 9 a 13 anos. A expectativa é imunizar mais de 3,6 milhões de meninos. Também serão imunizadas 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos vivendo com HIV/aids, além de pessoas imunocomprometidas, transplantadas de órgãos ou medula óssea e pacientes oncológicos.

A inclusão de meninos, segundo Ana Goretti, traz equidade. "Todos os estudos evidenciam que o HPV tem desfecho negativo não só nas meninas como nos meninos", finalizou.

Leia também: Rio fará vacinação contra a febre amarela durante todo o ano, diz secretário

*Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.