Nas áreas rurais do Rio de Janeiro e Minas Gerais também há casos de morte

São Paulo registra a oitava vítima de febre amarela, na última sexta-feira
ALEXANDRE GUZANSHE - 10.1.2008
São Paulo registra a oitava vítima de febre amarela, na última sexta-feira

O número de vítimas da doença continua aumentando em todo o território nacional. Desde o início do ano, só o estado de São Paulo, já registrou oito mortes por febre amarela. Desse total, três foram transmitidos dentro do próprio estado, e foram confirmados nos municípios de Américo Brasiliense, Batatais e Araraquara, conforme informou a Secretaria de Saúde.

Leia também: Após primeiros casos de febre amarela, Rio de Janeiro terá vacinação em escolas

A oitava morte ocorreu na última sexta-feira (10), em Araraquara, região central do estado. Apesar da vacina contra febre amarela já ser encontrada por lá, a Secretaria de Saúde da cidade divulgou que 16 mil moradores ainda não receberam uma das doses necessárias para a plena imunização. A prefeitura da cidade também declarou que vai intensificar a vacinação nos postos de saúde urbanos e na área rural.

Outros estados também têm vítimas do vírus

Em Minas Gerais já foi anunciado a morte de cinco pessoas, em todos os casos, foi confirmado que a doença foi importada, ou seja, a infecção ocorreu fora do estado. As notificações foram em Santana do Parnaíba, três na capital e uma em Paulínia.

O Rio de Janeiro também tem vítimas. Esta semana foi confirmada a primeira morte causada pelo vírus e mais outro caso, ambos autóctones (infecções ocorridas dentro do estado).

Leia também: Minas Gerais registra primeira morte suspeita por Chikungunya

Ministério da Saúde afirma que áreas urbanas não correm riscos

Em nota à imprensa divulgada na última quinta-feira (16), o Ministério da Saúde informou que não há evidência de febre amarela urbana no Brasil desde o último caso, registrado em 1942. As coletas de mosquitos nas áreas afetadas não detectaram a presença do vírus. “Nessa vigilância entomológica, não foram encontrados insetos infectados nas áreas urbanas.”

Segundo a pasta, todas as medidas de contenção do surto têm sido realizadas, com o envio de 16 milhões de doses de vacina contra febre amarela para as áreas afetadas, além das 3,6 milhões de doses para a vacinação de rotina nos 19 estados que registram a circulação silvestre da febre amarela desde o início do ano.

A vacina contra a febre amarela é indicada apenas aos moradores de áreas de risco definidas pelo Ministério da Saúde e para aqueles que vão viajar a esses locais. A imunização não é indicada para gestantes, mulheres que estejam amamentando, crianças com até seis meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (portadores de lúpus, por exemplo).

Leia também: Morre primeira vítima por febre amarela no Rio de Janeiro

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.