Mulher compartilhava experiências em um grupo no Facebook, com mais de 8.500 membros que acreditam que o autismo é causado por parasitas

Autismo é um transtorno que interfere nas capacidades de comunicação e interação, mas não se sabe como é causado
shutterstock
Autismo é um transtorno que interfere nas capacidades de comunicação e interação, mas não se sabe como é causado

Uma mulher está sendo investigada pela polícia e serviços sociais britânicos por ter, supostamente, usado enema – que é o ato de introduzir água e medicamentos líquidos no ânus - para "curar" o autismo de seu filho.

Leia também: Autismo pode ser detectado em bebês antes dos seis meses, segundo estudo

Mãe de três filhos, ela foi denunciada por compartilhar sua atividade em um grupo secreto do Facebook, destinado a pais que acreditam que o autismo é causado por parasitas que podem ser eliminados usando esse tipo de tratamento – que, de acordo com os médicos, pode ser potencialmente letal.

O grupo, que tem cerca de 8.500 membros, cobra o equivalente a R$ 250 para poder fazer parte, compartilham, rotineiramente, imagens dos “parasitas” que saem de seus filhos após o procedimento, e contam como fazer a “prática segura” das aplicações de produtos por via anal nas crianças.

A denúncia foi feita por uma a ativista do autismo, Emma Dalmayne, que se infiltrou no grupo. Ela afirma que as imagens realmente mostram o revestimento intestinal das crianças queimado pelas substâncias usadas no enema.

Tanto a Food Standards Authority (FSA) como a Agência Reguladora de Produtos Médicos e de Saúde (MHRA) alertam contra o uso do tratamento no Reino Unido.

Leia também: Estudo encontra ligação entre falta de vitamina D na gravidez e autismo

Contraindicações

A FSA, em particular, adverte que o uso dos produtos recomendados pelos pais que fazem parte do grupo pode levar a náuseas, vômitos, diarreia, redução da pressão arterial e, quando não diluído, danificar o intestino ou causar insuficiência respiratória.

Mas, apesar disso, as substâncias estão disponíveis para venda no país pela na internet e estão sendo estocadas em algumas lojas.

A ativista agora está pedindo para que o governo suspenda os produtos usados para esse fim e torne o tratamento ilegal, por meio de uma petição pedindo o fim de todas as curas do autismo.

"Nenhum pai vai admitir publicamente que faz isso com seus filhos. Este tratamento não é ilegal no momento, mas precisamos nos livrar dele", afirmou Emma.

"O caso mais extremo que eu vi até à data é de um menino de seis anos que teve que remover o intestino e teve uma bolsa de colostomia ajustada depois que seus pais lhe deram esses enemas”, contou a ativista ao jornal britânico, Metro.

Autismo

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que pode prejudicar a capacidade de se comunicar e interagir. As causas são desconhecidas, mas, a ciência acredita que são quadros resultantes da combinação de diferentes genes. Não há uma cura para essa doença, mas existem tratamentos para ajudar a diminuir os sintomas, como terapias e uso de antipsicóticos.

Cada caso do autismo varia de acordo com a pessoa. Entre as características mais comuns para se identificar um autista estão a dificuldade de comunicação, dificuldade com interações sociais, interesses obsessivos e comportamentos repetitivos.

Leia também: Equoterapia para paralisia cerebral e mais: "É possível recuperar movimentos"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.