Substância utilizada é, na verdade, o MDMA puro; tratamento envolve 12 sessões de psicoterapia, sendo que em três delas há o uso da droga; entenda

Ecstasy, conhecido por causar euforia, sensação de bem-estar e alterações sensoriais, também pode ajudar a superar traumas
DEA/Divulgação
Ecstasy, conhecido por causar euforia, sensação de bem-estar e alterações sensoriais, também pode ajudar a superar traumas

Pessoas que sofrem de transtorno de estresse pós-traumático poderão contar com um novo tratamento que está sendo testado em Goiânia, no Instituto Plantando Consciência, em parceria com o Centro de Educação e Psicoterapia. A técnica para tratar pessoas com algum trauma utiliza metilenodioximetanfetamina (MDMA), substância popularmente conhecida como ecstasy, como base para a psicoterapia.

Leia também: Drogas psicodélicas podem causar benefícios para o cérebro, diz estudo

Destinado a quem sofre de estresse pós-traumático, como pessoas que foram vítimas de abuso sexual ou policial, que sofreram com violência urbana, vítimas de desastres naturais ou que possuem traumas devido a sequestros, o tratamento dura 12 semanas e foi aprovado pela Comissão nacional de Ética em Pesquisa (Conep) do Ministério da Saúde.

Atualmente, apenas 30% das pessoas que sofreram algum tipo de situação semelhante às descritas acima conseguem atingir resultados satisfatórios em tratamentos contra o transtorno causado pelo ocorrido. Por isso, essa é uma alternativa considerada valiosa para a ciência.

Para realizar a pesquisa, os cientistas utilizam MDMA importado dos Estados Unidos e possuem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No entanto, os estudiosos ressaltam que, coma produção do ecstasy sem controle algum, a droga consumida nas ruas muitas vezes nem contém o MDMA, apenas outras substâncias intoxicantes. Já o que é usado na pesquisa trata-se de MDMA puro, feito com controle de qualidade norte-americano.

Leia também: Mortes por overdose nos EUA já são classificadas como epidemia pela ONU

Como funciona

São três etapas principais: triagem, exames clínicos e sessões. A triagem consiste em uma avaliação psiquiátrica completa para avaliar se o paciente está de acordo com o padrão escolhido para fazer parte do estudo e os exames incluem de sangue e eletrocardiograma para poder receber a droga.

Uma vez por semana durante 12 semanas são feitas as sessões de psicoterapia . A cada três sessões o paciente é submetido ao uso do MDMA. Nesses dias, é necessário internação, com pernoite na clínica. Isso porque a substância é capaz de intensificar os processos emocionais e acelerar o raciocínio, aprofundando os efeitos ao passar pela psicoterapia. Ao terminar a 12ª sessão, é feita uma avaliação.

Para participar do tratamento-teste é preciso ir pessoalmente ao Instituto Plantando Consciência, sofrer de transtorno do estresse pós-traumático há pelo menos seis meses e ter tentado pelo menos um tratamento anterior sem sucesso. A psicoterapia é gratuita.

Leia também: Personagem de Grazi Massafera definha pelo crack; entenda o efeito das drogas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.