Tamanho do texto

Muhammad Farooq, de 21 anos, removeu dente em clínica clandestina, sofrendo infecção causada por falta de higiene durante procedimento; ao procurar ajuda médica, paquistanês foi diagnosticado com câncer bucal

Muhammad Farooq, de 21 anos, arrancou dente em clínica ilegal e oito meses depois descobriu infecção e câncer bucal
Reprodução/Daily Mail
Muhammad Farooq, de 21 anos, arrancou dente em clínica ilegal e oito meses depois descobriu infecção e câncer bucal

Um homem sofreu consequências graves após arrancar o dente com um profissional não especializado e desenvolver câncer bucal. Muhammad Farooq, de 21 anos, estava com dor de dente quando resolveu ir a uma clínica clandestina na província de Sindh, no Paquistão.  Entretanto, após o procedimento, o rosto do jovem passou a inchar, causando-lhe uma infecção e, consequentemente, um tumor gigante que se alojou em sua bochecha. As informações são do Daily Mail .

Leia também: Britânico passa por reconstrução facial após confundir tumor na pele com espinha

Devido ao inchaço fora do comum, o paquistanês procurou ajuda médica, sendo alertado de que havia sido atendido por um dentista falso. Meses depois, realizando visitas contínuas a especialistas, ele foi diagnosticado com câncer bucal  por falta de higiene durante a remoção do dente e pelo hábito de fumar.

A equipe médica responsável pelo tratamento atual de Farooq expôs que as chances de sobrevivência do rapaz são extremamente baixas, mesmo que seja submetido à quimioterapia, mas afirmam que continuarão auxiliando o paciente com antibióticos e medicamentos controlados para diminuir o inchaço e a dor.

Desenvolvimento do câncer bucal e auxílio negado

A mãe do paciente, Razia Noor, disse à imprensa paquistanesa que foi junto ao filho na clínica onde realizou a cirurgia, encontrando o local fechado. “Meu filho agora está lutando por sua vida devido à irresponsabilidade de charlatões como aquele homem que o atendeu. Nós retornamos ao consultório, mas não adiantou nada, já que agora há um bar no lugar da clínica”.

Leia também: Você sabia que infecção no dente pode chegar ao cérebro?

A mulher ainda contou que a família tentou procurar ajuda em hospitais públicos, mas que não obteve sucesso nas tentativas, uma vez que as instituições se negam a atender o rapaz por conta da gravidade e do estágio avançado da doença.

"Muhammad foi a essa clínica e, oito meses depois, seu rosto começou a inchar de uma forma assustadora. Fiquei muito desapontada quando soube que ele havia ido até um consultório clandestino para economizar dinheiro. Agora, não consegue mais falar e sua dieta é totalmente líquida. Não sabemos mais o que fazer. Já procuramos ajuda em hospitais estatais, que negaram a atendê-lo por acreditarem que não tem muito tempo de vida”, acrescentou.

Leia também: Barata é retirada ainda viva do ouvido de chinês durante cirurgia; assista

O oncologista Noor Muhammad Soomro explicou que o câncer bucal desenvolvido por Farooq se deu pelo tabagismo, responsável por cerca de três em cada quatro casos de câncer na boca, além de ter sido potencializado por uma infecção causada pela falta de higiene com os materiais utilizados para a remoção do dente. O rapaz segue em tratamento em sua casa. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.