Por que carboidrato "dá barriga"?

Por Elioenai Paes - iG São Paulo

compartilhe

Tamanho do texto

Como tem alto índice glicêmico, acaba estocado em forma de gordura; apenas os integrais contribuem para boa digestão

Pães, bolos, biscoitos e massas. Esse conjunto saboroso que provoca salivação na maioria de nós de inocente não tem nada. Após consumidos, os carboidratos brancos se transformam facilmente em gordura que se aloja principalmente na barriga e de lá custa a sair. 

Isso acontece, explica Viviane Pereira, nutricionista do Mundo Verde, porque a região abdominal tem mais facilidade para armazenar gorduras. “Os carboidratos e gorduras são os principais fornecedores de energia do organismo e são estocados para que haja energia disponível em momentos em que não se consome alimentos, como durante uma noite de sono."

Confira alimentos com "bons carboidratos", os de baixo índice glicêmico:

Batata doce. Foto: Thinkstock/Getty ImagesLeite e laticínios desnatados e sem açúcar. Foto: Getty ImagesIogurte desnatado e sem açúcar. Foto: Getty ImagesBatata yacon. Foto: Assessoria de Comunicação do CeasaAveia. Foto: Getty ImagesLaranja. Foto: Getty ImagesMaçã. Foto: Getty ImagesCarnes magras. Foto: Getty ImagesPêra. Foto: Getty ImagesMandioca. Foto: Getty ImagesMilho verde. Foto: Thinkstock/Getty ImagesSoja. Foto: Getty ImagesVagem. Foto: Getty ImagesFeijão fradinho. Foto: Thinkstock/Getty ImagesGrão-de-bico. Foto: Getty ImagesLentilha. Foto: Getty ImagesAmeixa com casca. Foto: Getty ImagesLegumes, como o nabo. Foto: Getty ImagesAbobrinha. Foto: Getty ImagesPepino. Foto: Getty ImagesBem como o tomate. Os únicos legumes que fogem à regra é a beterraba e a cenoura. Foto: Getty ImagesErvilha. Foto: Getty ImagesCevada. Foto: Thinkstock/Getty ImagesCenteio. Foto: Thinkstock/Getty ImagesTrigo integral, para a farinha. Foto: Getty Images

O problema é quando o organismo guarda gordura em excesso. O carboidrato branco, ao ser digerido, se transforma em glicose, que cai na corrente sanguínea. Só que o sangue não pode ficar "doce". Quem faz a "limpeza" para transformar a glicose em energia é a insulina. Se tem muita glicose, também se tem muita energia. Se ela não for gasta por meio de exercícios físicos é armazenada como gordura primeiramente no lugar mais fatídico: a barriga.

Já os carboidratos integrais são considerados de índice glicêmico baixo. A nutricionista Carolina Arbache, da Natue, explica que as fibras contidas nesses alimentos ajudam a reduzir a quantidade de carboidratos absorvidos, e, além disso, deixam o processo de absorção mais lento.

“As fibras não conseguem ser digeridas e absorvidas pelo nosso organismo. No entanto, elas formam uma espécie de teia que ‘prende’ parte das moléculas de glicose, fazendo com que esta porção do carboidrato não seja absorvida, e sim, eliminada nas fezes”, explica a nutricionista.

“Além disso, as fibras deixam o trânsito intestinal mais lento, o que faz com que o carboidrato seja absorvido lentamente, caindo aos poucos na corrente sanguínea”, completa. Com isso, o carboidrato integral permite um tempo hábil para a pessoa gastar aquela energia que foi absorvida, sem que seja armazenada como gordura.

É melhor, portanto, sempre optar pelos carboidratos integrais, mesmo se alguns deles tiverem calorias iguais ao simples (branco).

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas