Alimento é rico em vitaminas e não compromete a dieta

Dá para incluir até sete porções semanais da batata na dieta
Getty Images
Dá para incluir até sete porções semanais da batata na dieta
Sempre relacionada à grande quantidade de carboidratos, a batata é tida como uma das grandes vilãs da dieta. Quem tenta emagrecer, costuma riscar o alimento do cardápio. Mas uma pesquisa norte-americana realizada pela Universidade da Califórnia, em conjunto com o Centro Nacional de Segurança da Comida e Tecnologia, promete mudar essa visão.

Segundo os pesquisadores, é possível incluir de cinco a sete porções de batata na dieta por semana e ainda assim perder peso. O estudo analisou 86 pessoas obesas, divididas em três grupos, que seguiram dietas diferentes, mas todas incluíam esse alimento. Todos os participantes perderam peso e não houve diferença significativa de emagrecimento entre os grupos. “Não há evidências de que as batatas, quando preparadas de uma maneira saudável, contribuam para o ganho de peso”, afirmou o pesquisador chefe, Britt Burton-Freeman.

A nutricionista Fernanda Granja ressalva: “o corpo precisa de carboidrato para raciocinar, caminhar e realizar todas as atividades diárias. Não se pode riscá-lo da dieta”, afirma.

Uma porção média (em torno de 150g) tem 110 calorias e quase a metade da necessidade diária de vitamina C (45%). Além disso, tem mais potássio do que uma banana, não contém gordura, sódio ou colesterol. “Ela fornece 21% do valor diário de potássio”, afirma David Grotto, em seu livro “101 alimentos que podem salvar a sua vida” (Editora Larousse).

“E também é rica em amido, vitamina B6 e zinco, que não é facilmente encontrado. A batata é um ótimo alimento, na verdade, ela é mal utilizada”, afirma José Alves Lara Neto, médico nutrólogo e vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrólogos. Para o especialista, esse alimento precisa ser mais bem explorado e utilizado de modo a usufruir de todos seus nutrientes.

“O ideal é consumi-lo com a casca. Basta lavá-lo com uma bucha ou deixá-lo de molho com bicarbonato. A casca concentra grande parte dos nutrientes como ferro, magnésio”, afirma.

No Brasil, o tipo mais consumido é a chamada batata inglesa. No entanto, Fernanda Granja indica o consumo do tipo yacon.

“Ela lembra uma pera e pode ser consumida crua, é rica em fibras e ajuda na absorção da glicose”, diz.

Método de cozimento

Cozidas ou assadas, uma porção média de batatas pode ter até 150 calorias. Fritas, ela passa para assustadoras 500 calorias e agregam 30 gramas de gordura, 10g acima da recomendação diária.

O FDA (Food and Drug Administration), órgão norte-americano que regulamenta o setor de alimentação e medicamentos, afirma que a batata pode reduzir o risco de pressão alta e derrame.

Sal em excesso

Outro complicador na batata é o sal que a acompanha. O condimento deve ser usado com moderação porque eleva a pressão arterial . Para reduzi-lo, use outros temperos como o alecrim e a sálvia, um pouco de azeite e pronto.

Dicas:
- Escolha aquelas que estiverem firmes e lisas
- Devem ser guardadas em local fresco e escuro, assim podem durar por várias semanas
- Não guarde a batata na geladeira, ela escurecerá durante o cozimento e o amido se transformará quimicamente em açúcar
- Não guarde junto com as cebolas, assim elas apodrecem mais rápido
- Evite levar aquelas que têm brotinhos ou manchas escuras. “Esses brotos têm substâncias tóxicas que podem provocar diarreias ou câimbras”, afirma Lara Neto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.