Alimentação

enhanced by Google
 

Alho contra gripe, hipertensão e infecções

Alimento estimula o sistema de defesa, potencializa o efeito de medicamentos e ajuda a combater doenças

Lívia Machado, iG São Paulo | 04/04/2011 10:35

Compartilhar:

Foto: Thinkstock/Getty Images

Suco de alho atua na prevenção de doenças. Associado a antibióticos, potencializa a cura

A receita é simples, embora difícil de engolir. O suco caseiro feito com água e um dente de alho triturado é capaz de provocar muito mais do que um hálito constrangedor.

O alimento, diluído na água e deixado em repouso por 20 minutos, libera todas as propriedades químicas responsáveis por ativar o sistema imunológico – responsável pela defesa do organismo – além de ser eficiente no controle da hipertensão.

A descoberta faz parte da tese de doutorado do farmacêutico e professor de química da escola técnica Confil, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Paulo César Venâncio.

Leia também:

Perigo no prato
O lado bom do jiló
Chocolate amargo faz bem ao coração
Água de coco é remédio caseiro

O especialista analisou o efeito 'antibiótico' do alho brasileiro (Allium sativum), comercializado em feiras livres e supermercados. A proposta era mapear de que forma o alimento atua no combate e na prevenção de doenças. Para comprovar tais propriedades, infecções bacterianas graves foram provocadas em ratos e in vitro.

“Esse tipo de pesquisa não pode ser validada em seres humanos. As doenças geradas nos ratos são severas, similares a uma infecção hospitalar, meningite, pneumonia. O risco é muito alto”, explica Venâncio.

Segundo o professor, o resultado da pesquisa mostrou que o tratamento feito com antibiótico, associado ao consumo do alho, acelera o processo de cura da doença, ou seja, o alho potencializa o efeito do remédio.

“O alho é um fitoterápico que estimula o organismo a combater a infecção, atua diretamente no sistema imunológico. Sozinho, tem fator de prevenção. Junto com remédios, é um coadjuvante poderoso”, defende o farmacêutico.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) indica que o ‘suco’ do alho seja consumido no máximo duas vezes ao dia, junto com as refeições.

O horário recomendado para consumo tem fundamento. Venâncio explica que o alho é composto de enxofre, elemento que provoca fermentação no estômago, e é responsável pelo cheiro ruim, forte. Ao ingerir o composto junto com o alimento, é possível minimizar o hálito constrangedor.

Tal reação provocada no estômago faz do alho um fitoterápico contraindicado para quem tem problemas gástricos. A acidez do alimento, nessas pessoas, pode acentuar o desconforto, dificultar a digestão.

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo