Com propriedades funcionais, eles combatem a inflamação e ajudam na formação do novo tecido. Saiba também como cuidar da pele após o ferimento e como ocorre o processo de cicatrização no corpo humano

Os alimentos que ajudam na cicatrização possuem propriedades funcionais; veja lista
shutterstock
Os alimentos que ajudam na cicatrização possuem propriedades funcionais; veja lista


Qualquer lesão na pele, mesmo que superficial, gera uma resposta imediata do corpo. Esse processo é encarado pelo organismo como uma agressão que, como consequência, traz uma inflamação. Além dos medicamentos normalmente usados para estimular o tratamento, é importante saber que há alguns alimentos que ajudam na cicatrização da pele.

Leia também: Cinco sinais de que você está desidratado

A nutricionista funcional Luciana Harfenist dá a receita: apostar nas propriedades funcionais dos alimentos que ajudam na cicatrização , ou seja, optar pelos que são mais ricos em nutrientes, e reduzir, ao máximo, os industrializados. “Somos feitos de nutrientes. O sangue, por exemplo, é uma proteína. Se não damos nutrientes para o corpo, como ele vai funcionar adequadamente?”, questiona ela.

Veja a seguir alguns alimentos que ajudam na cicatrização da pele:

Frutas cítricas 

São ricas em betacaroteno (antioxidante) e vitamina C, que tem ação na formação das fibras de colágeno e, com sua ausência, aumenta os riscos de hemorragias e de ruptura cicatricial. Por isso, aposte em laranja, abacaxi, limão, caju, pêssego, tangerina e ameixa.

Frutas vermelhas 

Contêm flavonoides, que protegem as paredes dos vasos sanguíneos e combatem o processo inflamatório. Além disso, morango, amora, framboesa e cereja, por exemplo, possuem um antioxidante natural capaz de reforçar a defesa do corpo contra as infecções e, ainda, manter a elasticidade da pele.

Brócolis, repolho e couve 

Além de ricas em antioxidantes, contêm compostos enxofrados bioativos, que auxiliam na desintoxicação do fígado – isso é bom para quem recebeu anestesia ou está tomando remédios contra inflamações e infecções. 

Farinha de linhaça e semente de chia 

São ricos em ômega 3, um tipo de ácido graxo (gordura), que estimula a resposta imunológica do corpo e ajuda a modular a inflamação

Alimentos com vitaminas A e B

A vitamina A evita a ação prejudicial dos corticoides nas cicatrizes, assim como a vitamina B. O cobre, o ferro e o zinco são elementos envolvidos em várias etapas da cicatrização e, portanto, necessários. Invista em ovo, manga, cenoura, fígado, agrião, salmão, batata e leite. O importante é manter uma dieta saudável e balanceada.  


Cortei a pele, e agora?

Em casos mais superficiais, o ideal é lavar o ferimento com água e sabão para evitar infecções
shutterstock
Em casos mais superficiais, o ideal é lavar o ferimento com água e sabão para evitar infecções


Todo ferimento deve ser limpo o mais rápido possível, com água corrente e sabão. Em caso de sangramento intenso, deve-se fazer uma compressão com pano limpo e seco por cerca de três minutos. Se o ferimento tiver sido mais profundo, ou seja, ultrapassado a derme, é necessário tratá-lo até seis horas após o trauma para que não haja infecção. As opções são pontos cirúrgicos, pontos falsos ou colas cirúrgicas.

O Dr. Breno Knop, cirurgião plástico do Hospital Samaritano Higienópolis, em São Paulo, explica que, caso esses ferimentos não tenham suas bordas aproximadas, desencadearão um processo chamado de cicatrização por segunda intenção , em que o ferimento é reparado de dentro para fora, gerando cicatrizes irregulares e grosseiras.

Conforme alerta o especialista, é importante não remover fragmentos de pele ou tecido, que podem ser necessários na reparação do ferimento. “A remoção pode deixar sequelas funcionais ou estéticas. O médico poderá avaliar a viabilidade desses tecidos durante o atendimento inicial”, informa.

Cicatrização

A cicatrização tem como objetivo restabelecer a integridade da região que sofreu alguma agressão
shutterstock
A cicatrização tem como objetivo restabelecer a integridade da região que sofreu alguma agressão


Depois que a derme é ferida , ocorre a cicatrização, mecanismo de defesa do organismo que tem como objetivo restabelecer a integridade da região que sofreu alguma agressão. “O processo se inicia imediatamente após a pele ser lesada e pode continuar por seis meses até um ano”, relata o cirurgião plástico.

Ela ainda é divida em quatro fases :

1. Inflamatória

Tem início assim que ocorre um ferimento. Dessa forma, a perda da integridade da pele desencadeia a liberação de substâncias químicas que atraem as células de defesa do organismo, que, por sua vez, “limpam” a ferida e coordenam a reestruturação do tecido.

2. Epitelização

Essa fase é responsável por evitar a penetração das bactérias e a perda de líquidos corporais, como o sangue. Ela começa após o período de 48 a 72 horas do ferimento, através de uma intensa proliferação das células epiteliais, que só param de se multiplicar quando encontram outra célula semelhante - fenômeno chamado de inibição por contato. Aqui, o importante é fazer a limpeza do ferimento e manter a superfície úmida.

3. Fibroplasia

A partir do 2º ou 3º dia, surge o fibroblasto, célula que libera colágeno, essencial para a regeneração da área que está passando pelo processo de cicatrização. Outra célula produzida nessa etapa é o miofibroblasto, que tem como objetivo retrair a cicatriz e, com isso, aproximar as bordas do ferimento. Outra característica dessa fase é a formação de novos vasos sanguíneos para trazer nutriente e oxigênio ao local ferido.

4. Remodelação

Essa é a última e a mais longa etapa, com duração de 21 dias a até um ano. A força da ferida melhora gradativamente, atingindo 20% da força da pele íntegra nas primeiras três semanas e cerca de 80% no final da cicatrização. A cicatriz nunca atingirá a mesma força de uma pele íntegra e, por isso, há alguns desequilíbrios que podem acontecer, como as queloides, cicatriz que tem como características ser grossa, saliente e endurecida. 

Leia também: 11 sinais de que você pode estar com diabetes

Após entender as fases da cicatrização, é importante saber que, além dos cuidados médicos, vale apostar nos alimentos que ajudam na cicatrização. O Dr. Breno Knop ressalta que o processo necessita de vários elementos (proteínas, vitaminas, oligoelementos) para ocorrer de forma eficaz. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.