É possível controlar esses sentimentos de uma maneira fácil e natural, aprendendo a respirar direito

Quem passa pela agitada rua João Ramalho, em Perdizes, zona oeste de São Paulo, quase não nota o pequeno portão azul de ferro entre tantas casas e comércios. É difícil imaginar que por trás dele exista um grande centro onde se ensinam técnicas de meditação, respiração profunda e ioga. A única pista são os desenhos feitos com spray branco, que mostram posições dessa técnica milenar trazida pelos indianos ao Brasil.

Com pé-direito alto, cinco grandes salões, um jardim de inverno e lustres chineses feitos em bambu, o local abriga a sede da organização internacional Arte de Viver , cujo objetivo é disseminar práticas para redução do estresse e da violência, por meio de técnicas respiratórias, meditação e trabalho voluntário.

Faça o teste e confira o seu nível de estresse

Na entrada, pufes baixos e um logo feito com pedaços de papel ocupam boa parte da parede. Diante dele, a foto do guru indiano Sri Sri Ravi Shankar, mentor e criador da ONG, presente em mais de 150 países.

David Santos Jr / Fotoarena
"Hoje sei lidar com meus momentos de raiva e eles são bem raros", relata Alexandre
Alexandre Lopes, 26 anos, fez seu primeiro curso há cinco anos, por indicação de um amigo. Um ano depois, o professor de educação física se rendeu às práticas de bem-estar e ioga e largou as aulas de personal trainer para se dedicar integralmente à organização. Passado por todos os cursos e formado instrutor, ele complementou seus estudos durante um ano, na Índia como voluntário.

“Cresci muito naquele país. Vi como as pessoas se ajudam, mesmo na pobreza. Aprendi outra forma de pensar, outra cultura e aprendi a ter mais respeito”, relata.

Ao voltar ao Brasil, virou um dos responsáveis pelas atividades da “Arte de Viver” em São Paulo. E garante que quem o conhecia antes, muitas vezes estranha essa transformação.

“Eu era explosivo, agressivo. Hoje, é claro que eu fico bravo, fico nervoso, mas esses episódios são raros e, quando acontecem, duram pouco. Aprendi a lidar com esses sentimentos de outra forma, sem precisar brigar, gritar, xingar”, atesta com voz e semblante tranquilos.

O truque para alcançar esse patamar – que parece uma missão quase impossível para quem mora nas grandes cidades – é simples: basta usar o nariz e a mente. O guru indiano Swami Paramtej, instrutor sênior da Fundação, esteve no Brasil para a realização de um curso sobre essas técnicas e falou com exclusividade ao iG Saúde .

“Há, definitivamente, um poder divino que está trabalhando para dar um sentido ao mundo, independentemente da sua religião, nacionalidade, classe social, cor, status social”, afirma.

Swami ensina a Sudarshan Kriya, técnica de respiração que, segundo ele, reduz os níveis de cortisol (hormônio do estresse) no sangue, melhora o sistema imunológico, aumenta a concentração, a sensação de bem-estar, controla a ansiedade, restabelece o sono e ajuda a combater a depressão. Como isso é possível?

"Todo o nosso corpo tem um ritmo. Você come a uma certa hora, sente sono e a uma certa hora... respirar também tem seu ritmo. Se ele estiver desequilibrado, é aí que ficamos doentes, depressivos. Quando fazemos essa respiração, retomamos o ritmo normal do corpo e voltamos ao equilíbrio", ensina.

Parece difícil, mas o guru indiano atesta que é possível, e em apenas 20 horas. “É uma combinação: você aprende ioga e a meditação acontece, a respiração melhora. As pessoas tendem a achar que a ioga é uma coisa chata, que você se sente, fecha os olhos, por horas, mas não é. Você só precisa de algumas habilidades, afinal, segurar uma guitarra não faz de você um guitarrista”, diz.

Em seu último livro antes de morrer, chamado “Respiração, angústia e renascimento” (Editora Ágora) o psiquiatra José Ângelo Gaiarsa diz que a prática inadequada da respiração é responsável também por muitos problemas emocionais.

“Se respiramos mal, alimentamos apenas os centros mais primitivos do cérebro. Ficamos reféns do medo e da agressividade e das emoções negativas, como inveja, medo, competição”, escreveu.

A seguir, confira dois exercícios que podem ajudar a lidar melhor com o cotidiano.

- Segure completamente a respiração e aguarde com atenção a vontade ou a necessidade crescente de respirar. Aguente até o limite do tolerável e então solte a respiração. Imaginamos que, nessas condições, ao soltar a respiração a faremos muito ampla, mas isso não é verdade.

- Tape a narina direita com o polegar, coloque o indicador entre os olhos, e inspire profundamente. Em seguida, tape a narina esquerda, expire. Inspire novamente pela narina esquerda, feche-a e expire pela direita. Repita calmamente esse exercício por cinco minutos, pelo menos duas vezes ao dia.




Leia também a entrevista com o guru indiano

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.