Bem-Estar

enhanced by Google
 

Onze regras de etiqueta para a academia

Higiene, bom senso e educação são fundamentais mesmo em ambientes informais

Chris Bertelli, iG São Paulo

Compartilhar:

Foto: Getty Images

Depois de suar em qualquer aparelho, não esqueça de limpar o local utilizado

Suor no aparelho de musculação, palavrões, desodorante vencido, celular tocando durante a aula de alongamento... nas academias, sobra vontade de ficar em forma, mas, muitas vezes, falta educação.

Catarina Andrade, 20 anos, sofre com a falta de etiqueta de alguns colegas de malhação.

“Não tem coisa pior do que sentar em um aparelho e subir aquele cheiro de suor alheio”, relata a estudante. E essa reclamação não é incomum.

“Isso acontece bastante. Mesmo deixando álcool e pano disponíveis, muitos alunos não fazem a higiene depois de terminar o exercício”, diz Regiane Naves, gerente da academia Competition, de São Paulo.

Danuzia Oliveira, gerente da Cia Athletica, da capital paulista, reforça o coro. “É muito desagradável encontrar um aparelho totalmente escorrendo. Caso não queira limpar, basta chamar alguém responsável pela limpeza para fazê-lo" recomenda.

Atitudes como essa costumam ser unanimemente apontadas como falta de etiqueta. Assim como monopolizar o equipamento de ginástica. “Não sair da esteira, bicicleta ou elíptico ao término de seu tempo é muito desagradável”, afirma a diretora regional da Bio Ritmo, Nani Dantas. E na hora de utilizar um aparelho de musculação, não se zangue se alguém pedir para revezar com você. “É de bom tom e estimula a cordialidade”, ressalta Álvaro Junior, coordenador técnico da Runner.

Outras atitudes, no entanto, dividem os professores. “Gritar” durante o treino de musculação, por exemplo.

“A pessoa que grita está tentando levantar algo que não aguenta. Se ela sabe o quanto consegue erguer de carga, se concentra, contrai coluna e abdome, respira, e faz a força adequada, não grita!”, avalia Danuzia. Regiane concorda: “homens quando puxam peso costumam gritar, ou jogam os pesos no chão. Já percebi que incomoda outras pessoas, que elas olham torto.” Para Álvaro Junior, no entanto, a atitude é natural.

O figurino utilizado também levanta discussões. Apesar de ser um ambiente propício a roupas mais justas, e até mais curtas, é preciso cuidado para não exagerar. “Não é proibido usar decote, mas é importante não abusar, pois outros alunos podem se sentir incomodados”, diz Danuzia. “Não chega a ser falta de etiqueta, em geral acho que as pessoas precisam ter bom senso”, acredita Álvaro.

Confira as dicas para manter a linha dentro da academia:

Suou, limpou!
Não custa nada passar um pano com álcool no aparelho de musculação depois de usá-lo. Assim, o ambiente fica mais higiênico, livre de cheiros desagradáveis e sempre limpo. “Se você não utiliza sua toalha de treino, que previne molhar o aparelho, é essencial que ao término do exercício higienize e seque o equipamento”, aconselha Nani Dantas, diretora regional da Bioritmo.

Sem reservas
Ocupar o aparelho e não deixar que outra pessoa o utilize enquanto termina suas séries é deselegante. Ainda mais se a academia estiver lotada. “É de bom tom revezar. Enquanto você descansa da série, outra pessoa pode usar”, avalia Álvaro Junior.

Nas aulas como spininning e jump, que utilizam bicicleta e cama elástica, não reserve espaço para um amigo. “Não é educado. Há pessoas que reservam equipamentos, saem no meio da aula, tirando a vaga de alguém que gostaria de ter feito a aula inteira”, pondera a gerente técnica da Cia Athlética, Danuzia Oliveira.

Roupa suja se lava em casa
O vestiário, como o próprio nome já sugere, é o local para se trocar, guardar pertences e tomar banho. Mas lavar a roupa utilizada na ginástica já é um pouco demais... “Eu já vi homem lavando cueca, short, tudo no chuveiro. Não dá”, reclama Álvaro. “Além disso, tem aqueles que vão se barbear na pia, mas ficam lá pelados, de frente para o espelho”, completa.

Nu com a mão no bolso
Por mais que o vestiário seja propício à pouca roupa, o ideal é não abusar da nudez. “É um ambiente com várias pessoas diferentes, elas podem se incomodar com alguém andando pelado de um lado para o outro, secando o cabelo sem roupa”, diz Regiane Naves.

Foto: Getty Images

Conversar no celular pode atrapalhar os demais, além de diminuir seu rendimento

Aperte o off
Inspire fundo, expire aliviando todas as tensões, relaxe os músculos e... trim, trim, trim... em apenas três toques o telefone celular quebrou o clima da aula de relaxamento e deixou muita gente assustada achando que o chefe estava ligando. Definitivamente, o aparelho deve ficar desligado durante as aulas. Atender a ligação, só em casos muito urgentes. “Além de deixar o telefone ligado, atende e fica falando no meio da aula, atrapalhando os demais alunos”, diz Álvaro.

Palavras mágicas
Bom dia, boa tarde e boa noite são essenciais e não devem ser dispensados nem em locais mais informais, como a academia. Cumprimentar funcionários, professores e alunos é importante para manter a cordialidade dentro desse – e de qualquer outro – ambiente. Também não se esqueça do "por favor", "obrigada" e outras palavras educadas.

Higiene sempre
Para quem sai cansado do trabalho e não vê a hora de chegar na academia para uma aula de natação, é legal não esquecer de passar na ducha antes de entrar na piscina. É importante retirar o suor do dia e manter a água limpa.

Imprescindível também é reforçar o desodorante antes de enfrentar a malhação. Mas, cuidado para não errar na dose. “Colocar um perfume para treinar é over, assim como deixar de usar um desodorante”, diz Danuzia Oliveira.

Algumas academias oferecem sauna para os alunos. Na hora de relaxar, no entanto, lembre-se de usar uma roupa de banho ou uma toalha. Sentar nu no local, além de não ser higiênico, pode constranger as pessoas.

Língua de trapo
Falar mal da vida alheia pode trazer problemas para você e para os outros. “Às vezes, a pessoa está acima do peso e já se sente insegura ao entrar na academia. Se percebe que alguém está comentando, pode até desistir”, afirma Álvaro, coordenador técnico da Runner.

Sem bagunça
Pesos fora do lugar, celular ou garrafa de água deixados em cima de aparelhos são atitudes malvistas por alunos e professores. Assim que encerrar o usar dos pesos, guarde-os no lugar correto, evitando que alguém se machuque. A dica vale também para os demais equipamentos “Quando terminar a sua série em um aparelho de pesos livres, retire a carga utilizada, pois não se sabe quem o utilizará depois e pode ser que o próximo usuário não suporte aquela carga”, recomenda Danuzia Oliveira.

Respeitar o espaço coletivo
O vestiário é um espaço coletivo e, como tal, deve poder seu utilizado por todas as pessoas. Mantenha suas coisas juntas, não deixe bolsa e pertences espalhados, ocupando um grande espaço.

Outro ponto importante e que costuma trazer confusão é o sistema de refrigeração da academia. Seja ventilador ou ar-condicionado, é muito difícil chegar a um consenso, mas nem por isso é válido impor a própria vontade. “Aquele aluno que liga o ventilador sem perguntar para a pessoa ao lado se ela se importa ou não está sendo muito deselegante. O mesmo vale para quem mexe no aparelho, voltando-o para sua direção, sem se importar com os demais. São atitudes egoístas e deselegantes”, avalia Álvaro Junior.

A recepção é a primeira impressão que se tem da academia e as pessoas que estão ali precisam ficar atentas para garantir a segurança do espaço. Portanto, deixe para conversar com os amigos em outro local. “Eu já vi pessoas saírem na recepção só de roupa íntima ou de roupão, é preciso bom-senso”, alerta Regiane Naves.

Transparência, decote e minis
Dentro da academia, trajes mais justos são aceitáveis, como calças de ginástica, tops e outros modelos. No entanto, é preciso ficar atento para não ultrapassar uma fina linha entre o que é ou não admissível. “Não é proibido usar decote, mas é importante não abusar, pois outros alunos podem se sentir incomodados”, afirma Danuzia Oliveira.

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo