Bem-Estar

enhanced by Google
 

Vale-Tudo para emagrecer

Menos machista do que parece ser, o MMA leva mulheres para as academias de luta prometendo queimar muitas calorias

Lívia Machado, iG São Paulo

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Foto: Guilherme Lara Campos / Fotoarena

Luta livre cor de rosa: mulheres investem na modalidade para queimar calorias e definir o corpo

A incrivelmente curta e agressiva luta entre Vitor Belford e Anderson Silva no UFC (Ultimate Fighting Championship) faz do MMA (Mixed Martial Art), o tradicional Vale-Tudo, um esporte invariavelmente masculino. Contrariando os campeonatos internacionais, porém, a modalidade começa a dar contornos a corpos femininos nas academias de lutas brasileiras.

Menos violento do que nos ringues oficiais, o MMA já é uma alternativa para eliminar as gorduras localizadas, perder peso e ganhar condicionamento físico. O grande trunfo da luta, para o público feminino, é o gasto calórico. Em apenas 90 minutos é possível queimar mais de mil calorias, revela Uelber Marques Soares, professor de educação física e dono da Academia de lutas Guri, na zona sul de São Paulo.

De fato, são poucas as aulas de ginástica, do recheado cardápio das grandes academias, que oferecem tamanho martírio aos quilos extras. Além de encharcar a roupa com suor, o exercício trabalha o corpo globalmente: braços, pernas e principalmente o abdômen, são acionados o tempo inteiro, sem exceção ou revezamento.

“É a aula que mais queima calorias. Além disso, exige força para se livrar de um golpe, condicionamento para suportar o peso do adversário, e flexibilidade pra conseguir chutar, socar, derrubar”, explica Tyson, professor de lutas da academia Fight Club, em pinheiros, na zona oeste paulista.

Duas realidades

A agressividade e os riscos físicos da luta são infinitamente menores nas academias. Para aceitar o MMA como uma modalidade esportiva ou aula de fitness, é preciso esquecer as lutas televisionadas. Apague da memória o golpe que massacrou Vitor Belfort em poucos minutos, em uma das lutas mais aguardadas do UFC. Delete também o corpo musculoso e trincado dos competidores, tanto homens quanto mulheres. Nada disso condiz com o resultado real da luta para os amadores.

O treino promove condicionamento, saúde e técnicas de luta, mas não forma um lutador, diz  Soares. “Os ricos são baixos. Treinamos o golpe, mas não o executamos a ponto de quebrar o braço do adversário. São apenas exercícios.”

Leia: Vale-Tudo com luvas de pelica

O corpo robusto de algumas lutadoras contribui para que o esporte exale testosterona. Soares alerta para o equívoco: as lutas trabalham o corpo, mas sem hipertrofia. “Corpo de lutador precisa ser forte para proteger as articulações. Mas isso é resultado de uma combinação de exercícios com carga, principalmente musculação", explicam os professores.

Um soco na rotina

A evolução é gradual, e garante o dinamismo das aulas. Para começar, entretanto, é preciso fôlego e disciplina. Os treinos são, geralmente, divididos em três etapas. A primeira trabalha o condicionamento cardiovascular, e é quase universal em todas as lutas: correr, pular corda, fazer agachamentos e flexões. O alongamento também é indispensável. Após o preparo do corpo, a técnica ganha o ringue.

Soco, ponta-pé, chutes, golpes – no chão e em pé, caracteristíca fundamental do MMA – dominam a segunda e terceira etapa das aulas. Para 'brincar de lutinha' é necessário dispor de luvas e protetores para os dentes. O kit pode soar assustador, mas provoca menos lesões ou impactos do que as sofridas por uma bailarina, após um treino em cima de uma sapatilha de ponta, comparam os mestres da luta.

Aos 30 anos, Karina Marini é faixa roxa de jiu-jítsu, modalidade que escolheu, inicialmente, para escapar das academias de ginástica. Apaixonada pela luta, a fisioterapeuta defende o MMA como a modalidade mais completa para trabalhar o corpo, desenvolver defesa pessoal e equilíbrio mental.

Para ela, o ringue funciona como uma sala de descompressão. “É um cardápio de lutas. Treinamos movimentos do Karatê, jiu-jítsu, boxe e até ioga. Não tem como sair estressado depois de uma aula de MMA. Você esquece todos os problemas, pois precisa se concentrar no golpe, nos exercícios.”

A terapia da ‘porrada’, pelo visto, parece funcionar. Soares revela que além do interesse em aprender defesa pessoal, uma das motivações principais para escolher o MMA como atividade física é o combate ao estresse. Se além de relaxar for possível deixar, a cada aula, os quilinhos extras para trás, o saldo da luta vai ser sempre positivo.

<span>Além de perder mil calorias por aula, a luta livre ensina técnicas de defesa pessoal</span> - <strong>Foto: Guilherme Lara Campos / Fotoarena</strong> <span>A aula mistura golpes de diversas modalidades</span> - <strong>Foto: Guilherme Lara Campos / Fotoarena</strong> <span>Concentração, coordenação motora e condicionamento físico são os principais benefícios do MMA</span> - <strong>Foto: Guilherme Lara Campos / Fotoarena</strong> <span>Aos poucos, o público feminino perde o receio e começa a invadir as academias de lutas</span> - <strong>Foto: Guilherme Lara Campos / Fotoarena</strong> <span>Com baixo impacto, os riscos da luta livre é muito menor do que o senso comum imagina</span> - <strong>Foto: Guilherme Lara Campos / Fotoarena</strong>

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


5 Comentários |

Comente
  • Leandro | 24/08/2011 17:50

    Somente corrigindo não é vale tudo e sim MMA(Mixed Marcial Arts).

    Responder comentário | Denunciar comentário
  • mag | 24/08/2011 11:08

    Adoro Muay thai e faço, luta de chão não me agrada....tenho 34 anos e vale muito, mais muito a pena....indico à todas as mulheres...\nAbraço

    Responder comentário | Denunciar comentário
  • mag | 24/08/2011 11:07

    Eu prefiro o Muay thai, como eu já faço, pois luta de chão não gosto.....abraço.

    Responder comentário | Denunciar comentário
  • elivanzete | 25/03/2011 14:51

    muito lagal essa dica de emagrecimento praticando o mma,gostaria de saber se pessoas maiores de 30anos pode começar a preticar e ter bons resultados.

    Responder comentário | Denunciar comentário
    karina | 24/08/2011 14:38

    claro! é super indicado para todas as idades, o mais importante é que o professor saiba respeitar os limites de cada aluna e é sempre bom passar no medico para saber se nao há contra-indicação para pratica de atividade fisica, seja qual for a modalidade que quer praticar! BONS TREINOS! OSS!

    Denunciar comentário

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!




*Campos obrigatórios

"Seu comentário passará por moderação antes de ser publicado"

Mais destaques

Destaques da home iG

Ver de novo