Vacina visa educar o sistema imunológico para gerar anticorpos contra proteína envolvida na progressão da doença

AFP

O primeiro teste em pacientes para elaborar uma vacina terapêutica contra a doença de Parkinson teve início na Áustria, uma novidade mundial, anunciou a empresa de biotecnologia austríaca Affiris.

"O primeiro estudo clínico no mundo para o desenvolvimento de uma vacina contra o mal de Parkinson foi lançado pela Affiris", afirma a empresa em um comunicado.

Saiba mais sobre o Parkinson na Enciclopédia da Saúde

A vacina terapêutica, chamada PDO1A, ataca uma proteína, a alfa-sinucleína, que desempenha um papel importante no desenvolvimento e na progressão da doença.

A PDO1A deve "educar o sistema imunológico para que este gere anticorpos dirigidos contra a alfa-sinucleína", explica a Affiris.

"A vacina oferece pela primeira vez a perspectiva de um tratamento das causas do Parkinson, e não apenas dos sintomas", destaca a empresa.

Siga o iG Saúde no Twitter

Segundo o conhecimento atual, o Parkinson é provocado por depósitos no cérebro de alfa-sinucleína de forma patológica. Uma redução dos depósitos desta proteína poderia ter efeitos benéficos na evolução da doença, de acordo com a Affiris.

"Pela primeira vez no mundo, a imunoterapia é aplicada ao tratamento do Parkinson", afirmou o diretor geral da empresa, Walter Schmidt.

Leia: Arte é duplo remédio para o Parkinson

A vacina entrou na primeira etapa de seu teste clínico, efetuado em 32 pacientes em uma clínica de Viena. A primeira fase pretende determinar e a PDO1A é tolerável e segura para o ser humano.

Cada paciente é submetido a testes durante 12 meses e o estudo prosseguirá até o fim de 2012, segundo o diretor médico do estudo para a Affiris, Achim Schneeberger.

O estudo recebeu apoio financeiro da fundação do ator americano Michael J. Fox, que sofre do mal de Parkinson, de 1,5 milhão de dólares.

Leia mais notícias de Saúde