"Regra dos 5 segundos" é mito, diz especialista

Infectologista diz que o melhor a fazer quando a comida cai no chão é jogá-la no lixo

The New York Times

Getty Images
Caiu no chão? Melhor jogar no lixo, orienta especialista

Se você tem o costume de seguir a “regra dos 5 segundos” sempre que algum alimento cai no chão, saiba que isso põe em risco a sua saúde. Quando a comida é exposta a qualquer superfície suja o melhor a fazer é seguir a máxima “na dúvida, jogue fora”.

Siga o iG Saúde no Twitter

Jorge Parada, diretor-médico do Programa de Prevenção e Controle de Infecções do Sistema de Saúde da Universidade Loyola, nos Estados Unidos, explica: assim que toca o chão, não tem jeito, o alimento pega sujeira e bactérias.

“Um alimento que caiu no chão é imediatamente contaminado e não pode ser higienizado novamente”, garante o médico. A quantidade de bactérias e os tipos de micróbios envolvidos dependem do que caiu e onde caiu, e lavar o item contaminado com a água corrente ajuda sim. Pode não limpá-lo completamente, mas ajuda a reduzir significativamente a quantidade de bactérias nele.

Aprenda: Como manter a comida livre de bactérias

Existem níveis de contaminação, ensina Parada. Bactérias mais perigosas podem tornar as pessoas doentes mais rapidamente. Da mesma forma, uma batata frita que caiu por apenas um segundo em uma mesa relativamente limpa provavelmente será menos contaminada do que uma que cai no chão e fica lá por algum tempo. Alguns itens também são contaminados mais facilmente do que outros.

“No mesmo período de exposição à sujeira, uma bala fica menos contaminada do que uma fatia de queijo”, exemplifica.

Leia mais:

Bactérias a tiracolo

Os alimentos mais passíveis de contaminação

Pesquisas já mostraram a importância da exposição a bactérias durante o desenvolvimento infantil na construção de um sistema imunológico saudável. Um recente estudo salienta que o convívio de bebês com cães e gatos seria benéfico à imunidade . No entanto, Parada argumenta que isso se aplica à exposição na vida diária e não significa se expor a riscos pontuais e desnecessários.

“Não defendo a exposição deliberada a contaminantes conhecidos. Se você quiser contribuir para a construção de suas defesas, o melhor a fazer é comer direito, praticar exercícios, dormir bem e manter o calendário de vacinas atualizado”.

Leia mais notícias de Saúde

    Leia tudo sobre: saúdedoençamicróbiosbactériascontaminaçãoalimentos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG