Após gravidez da esposa, cientista cria 'ultrassom popular'

Universidade onde foi desenvolvido o aparelho anunciou que está procurando colaborações com empresas e indústrias para comercializá-lo

BBC |

BBC

Um engenheiro da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, desenvolveu uma máquina de ultrassom de baixo custo inspirado pela gravidez da esposa.

O pequeno aparelho – que tem o tamanho de um mouse – pode ser conectado via USB a qualquer computador ou laptop para mostrar imagens do feto na barriga da mãe.

Saiba mais sobre o exame de ultrassom no Guia de Exames

Com um custo de fabricação de 30 a 40 libras (entre R$ 98 e R$ 130), o ultrassom portátil é muito mais barato do que as máquinas tradicionais, que chegam a custar entre 20 mil e 100 mil libras. Mas para o engenheiro eletrônico Jeff Neasham, tudo começou com a primeira gravidez da esposa.

"Eu estava sentando com minha mulher vendo nosso bebê na tela e percebemos o quão privilegiados éramos, por ter acesso a esse tipo de cuidado", diz ele.

BBC / New Caslte University
Engenheiros querem tornar exames de ultrassom acessíveis para grávidas

"Foi minha mulher que sugeriu que eu podia aplicar meu conhecimento de pesquisas com sonar para fazer com que isso fosse mais acessível."

Neasham e seu parceiro na pesquisa, Dave Graham, "trataram o assunto como um desafio de engenharia interessante" e usaram as tecnologias mais baratas possíveis para produzir uma "imagem útil".

Custo baixo foi a chave

O objetivo era criar um aparelho que pudesse ser produzido a um custo semelhante ao dos aparelhos Doppler manuais (que monitoram os batimentos cardíacos do feto), usados pela maioria das parteiras", afirmou o engenheiro.

"Não é fácil se você considerar que um ultrassom de 20 mil libras é geralmente considerado de baixo custo."

Ele disse que a máquina pode mostrar se o bebê está mal posicionado no útero, mas que as imagens ainda não são claras o suficiente para mostrar o sexo.

"Ainda não estamos no estágio de poder chegar à qualidade de imagem de um scanner de ponta, mas estamos chegando cada vez mais perto."

A Universidade de Newcastle anunciou que está procurando colaborações com empresas e indústrias para começar a comercializar o aparelho.

Leia mais notícias de saúde

Leia tudo sobre: saúdegravidezexamesultrassom

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG