Tamanho do texto

As diferenças giram em torno da agressividade dos sintomas, que são muito mais fortes nos casos do vírus da gripe. Saiba como se prevenir

Você sabe diferenciar se está com gripe ou resfriado? A princípio, os sintomas podem parecer similares, mas, na verdade, se distinguem em determinados pontos. As diferenças giram, principalmente, em torno da agressividade dos sinais, que são muito mais fortes nos casos de gripe .

Um “pré-diagnóstico” do próprio paciente para saber se é  gripe ou resfriado  pode ser determinante para que ele tome a decisão de procurar atendimento médico. Com isso, o tratamento poderá será feito de forma adequada ainda nas primeiras 72 horas do início dos sintomas.

Saber identificar se está com gripe ou resfriado é fundamental na hora de pedir ajuda médica
shutterstock
Saber identificar se está com gripe ou resfriado é fundamental na hora de pedir ajuda médica




“É muito importante que o paciente tenha uma noção das diferenças e, caso desconfie de que esteja gripado, procure um médico e jamais ignore a doença . A gripe é tão séria que possui um tratamento e uma vacina específicos, enquanto o resfriado, não”, afirma o infectologista Ralcyon Teixeira, supervisor do pronto-socorro do Instituto Emílio Ribas.

Veja abaixo cinco dicas para identificar se você tem gripe ou resfriado:





1) Como começou?

O resfriado se instala de forma lenta e gradativa, enquanto a gripe sempre acontece de forma repentina e rápida, “derrubando” o paciente “de uma hora para outra”.

2) Tenho febre: qual a temperatura?

A febre é um sintoma que pode estar relacionada em ambos os casos; mas, a diferença fica por conta da intensidade. No resfriado, não é tão comum e, normalmente, é baixa. Já na gripe, as temperaturas ficam acima dos 38 graus, ou seja, são mais elevadas. Com o termômetro, meça a febre a cada 4 horas e sempre anote o resultado e os horários para que o diagnóstico correto possa ser feito por um especialista.

3) Estou tossindo: como é a tosse?

A tosse seca, com ausência de muco é um sintoma marcante da gripe. Se for esse o caso, fique alerta! Resfriados costumam apresentam o sintoma apenas na reta final do problema.

4) Estou espirrando?

O espirro e o nariz vermelho, ao contrário do que se imagina, são características bem peculiares do resfriado. Quadros de gripe quase não apresentam irritação relacionada às narinas (vias respiratórias altas).

5) Há quanto tempo estou assim?

Resfriado dura, em média, de dois a quatro dias. A gripe, por sua vez, tem um período mais longo de duração, que perdura, geralmente, de sete a 10 dias.

Vacinação

A vacina deve ser tomada todos os anos para evitar o vírus da gripe
Freepik
A vacina deve ser tomada todos os anos para evitar o vírus da gripe


Quer se manter bem longe da gripe? Então, não se esqueça do fator fundamental: a vacina – composta por vírus mortos, fracionados ou em subunidades, conforme informação do Ministério da Saúde. Vale destacar que ela deve ser reaplicada anualmente. Para o resfriado, no entanto, não há esse tipo de proteção.

Durante o período da campanha de vacinação estipulado pelo órgão, os grupos prioritários, como gestantes, idosos acima dos 60 anos e professores de escolas públicas e privadas devem comparecer ao posto de saúde para receber a dose. O prazo pode, ainda, ser estendido, caso haja unidades disponíveis e o público-alvo não tenha sido 100% atingido.  A aplicação pode ser feita também em clínicas e laboratórios particulares, mediante o pagamento do valor estipulado pelo local.  

Leia também: Doença celíaca pode ser curada com vacina, segundo estudo 

Métodos de prevenção

É no inverno, quando as temperaturas caem e a umidade do ar diminui, que as mucosas nasais ficam, como consequência, mais ressecadas e menos protegidas. Nesse período, as infecções respiratórias aumentam, uma vez que o ar seco facilita a proliferação de vírus e o aumento da poluição. 

Diante desse cenário, algumas atitudes ajudam a diminuir a chance de contrair gripe, resfriado, alergia e até mesmo outras doenças respiratórias. O Ministério da Saúde indica manter hábitos saudáveis para que o sistema imunológico não fique enfraquecido e, também, evitar o contato com pessoas que já estejam contaminadas, além de não compartilhar objetos pessoais, como talheres e copos.

Permanecer em locais fechados e com aglomeração de pessoas, como é o caso do transporte público, favorece – e muito – a contaminação. É só imaginar a seguinte situação: a pessoa espirra e, logo em seguida, toca na barra de ferro do ônibus para se segurar, por exemplo. Esse simples ato já é suficiente para quem encostar no lugar ter chances de ser contaminado.

De acordo com a Dra. Rosane Bleivas Bergwerk, pneumologista e alergista da Doctoralia, o ambiente mal ventilado favorece a circulação de vírus, bactérias e microrganismos. “É importante que as pessoas não levem as mãos aos olhos, boca e nariz após o contato com superfícies contaminadas”, recomenda. Por isso, sempre que possível, mantenha os ambientes ventilados.

Uma boa dica, nesses casos, é utilizar álcool em gel – uma opção na falta de água e sabão. O produto, no entanto, deve ser usado com moderação para que a pele não fique ressecada.  O ideal é aplicar – em pequena quantidade - sempre que assoar o nariz ou espirrar. Conforme alerta a marca de gel antisséptico Hi Clean, higienizar as mãos é uma das principais maneiras de conseguir a prevenção contra as doenças infecciosas.

Em casa, por conta do clima seco, muitas famílias optam pelo uso do umidificador de ar. O problema é que, se utilizado de forma incorreta, pode resultar em problemas à saúde, por conta da formação de ácaros. A Dra. Rosane ressalta que o item deve ser usado por, no máximo, 3 horas. “Após o uso, é preciso esvaziar o reservatório, secá-lo e higienizá-lo, pois no local de água pode haver proliferação de bactérias”, explica.

Tratamento

Bom, se a gripe ou resfriado chegou de vez e não foi possível escapar, confira algumas dicas que ajudam o corpo a combater a infecção:   

  • Manter o corpo aquecido e permanecer em repouso, mesmo que por poucos dias;
  • Tomar remédios específicos, como os analgésicos anti-inflamatórios, com a orientação de um profissional de saúde;
  • Ingerir bastante líquido, em especial água, ajuda a manter o corpo hidratado.

 Ao seguir essas orientações básicas, o tratamento será mais efetivo. Em caso de piora dos sintomas da gripe ou resfriado, procure ajuda médica. É importante avaliar se o quadro se trata de uma doença mais grave, como é o caso da pneumonia, patologia que mata 1,6 milhões de pessoas ao ano em todo o mundo , conforme indica a Organização Mundial da Saúde (OMS).


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.