Tamanho do texto

Muitos que fazem viagens longas de avião reclamam de desconfortos para respirar, além de dores de cabeça ou rinite; veja como se prevenir

Final de ano chega e as férias de grande parte das pessoas também. Para aqueles que vão enfrentar voos longos, muitos reclamam de chegar ao destino com o nariz ardendo, dor de cabeça ou ouvidos tampados. O otorrinolaringologista Cícero Matsuyama, do Hospital Cema, dá a dica: "não viaje se estiver com algum problema respiratório, ou consulte um médico antes da viagem, para ser medicado".

A razão é simples: com gripe, rinite ou qualquer outro problema respiratório, o ambiente dentro do avião acaba sendo mais hostil. O ar seco e gelado do ar-condicionado não ajuda em nada aqueles que estão passando por alguma infecção. Se hidratar bebendo água e levar agasalhos é um dos conselhos do médico.

Leia também:  É gripe ou resfriado? Cinco dicas para diferenciar uma coisa da outra

"O ar seco faz com que a cavidade nasal resseque, podendo causar mais secreção e obstruir mais ainda, piorando a infecção", diz o médico. "Mascar chiclete para simular o movimento de deglutição costuma funcionar bem para o tubo auditivo, por causa da pressão. Lavar o nariz com soro fisiológico de 0,9% ou 3% também ajuda", recomenda Matsuyama. 

Além disso, em casos extremos, há a perfuração da membrana timpânica, por causa da pressão. O otorrinolaringologista do Cema explica que felizmente essa é uma condição rara e, em 95% dos casos, reversível. Basta quem sofrer com dores de ouvido procurar um médico imediatamente para ser medicado.

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.