Minha Saúde

enhanced by Google
 

Cuidado com a dor de cabeça

Ela pode ser o sinal de que alguma coisa não anda bem no seu corpo

The New York Times

Compartilhar:

Foto: Getty Images

Dor: ela é um aviso de que algo não anda bem

Dores de cabeça são terríveis. Há pouco a ser dito sobre aquela dor devastadora ou latejante no crânio, que faz qualquer um estremecer ou gemer só de se lembrar dela.

Ainda assim, dores de cabeça dizem muito sobre uma pessoa. Podem indicar que você está fazendo algo que não é bom para a saúde do seu corpo. A dor de cabeça pode, também, ser um aviso, um sinal de altera de algo mais sério está acontecendo.

“A dor de cabeça pode ser um sintoma de um distúrbio orgânico simples, uma doença série e complicada, ou pode ser uma característica individual, como a cefaleia tensional ou a enxaqueca” explica Seymour Diamond, diretor da Clínica de Dor de Cabela Diamond e da unidade de Cefaleias do Hospital Saint Joseph, em Chicago (EUA). “Existem múltiplas causas e variantes de dor de cabeça”.

Ellen Beck, professora de medicina preventiva e da família da Universidade da Califórnia, em San Diego (EUA) esclarece: em geral, as pessoas têm dois tipos de dor de cabeça: aquelas que resultam de tensão muscular, conhecidas como cefaleias tensionais, e as dores de cabeça causadas pela expansão dos vasos sanguíneos em tecidos ao redor da cabeça, chamadas de cefaleias vasculares.

“Essas dores de cabeça podem ser uma pista de que algo na sua rotina está gerando estresse ou prejudicando seu corpo”, diz Beck.

As causas de dor de cabeça geradas pelo estilo de vida podem incluir:
- Não comer o suficiente
- Desidratação
- Postura incorreta na estação de trabalho
- Fadiga ocular

“A cefaleia pode ser uma mensagem do corpo. E o médico não deve apenas tratar o problema com remédios. Deve bancar o detetive e tentar descobrir o que está causando a dor” afirma Beck.

A médica cita o exemplo de um aluno de faculdade que apareceu no consultório reclamando de dores de cabeça frequentes e intensas. Ela fez algumas perguntas e descobriu o que havia uma explicação simples para a dor do rapaz.

“Ocorre que ele estava estudando e trabalhando tanto que se esquecia de comer e fazia apenas uma única refeição à noite. Quando começou a se alimentar mais regularmente a dor foi embora.”

Uma forma terrível de cefaleia vascular é a enxaqueca. Pessoas que a têm dizem que o problema pode ser debilitante. Ataques não tratados com medicação podem durar de quatro horas e três dias, de acordo com o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos dos Estados Unidos.

A dor da enxaqueca difere significantemente da cefaleia tensional. “Na dor de cabeça tensional a pessoa sente como se tivesse uma faixa apertada ao redor da cabeça e são comumente acompanhadas de fadiga” explica Beck.

“As enxaquecas não são todas similares. Elas são como um martelo batendo direto no crânio. Algumas ocorrem apenas de um lado da cabeça e outras vêm acompanhadas de náuseas”.

O trabalho de investigação que as pessoas precisam fazer em relação às enxaquecas é aprender a identificar os sinais de alerta e descobrir os gatilhos das crises. Aprendendo a decifrar os sinais de um ataque iminente de enxaqueca é possível tomar alguma medicação que bloqueie a dor antes dela começar. E se for possível descobrir os motivos que desencadeiam as crises, talvez seja possível evitá-las.

Veja alguns sinais da enxaqueca:
- Aura no campo de visão
- Dificuldades para falar
- Sentir o odor de algo que não está perto (ex: laranjas)
- Confusão
- Náusea
- Perda de apetite
- Sensibilidade à luz ou ao barulho

Os gatilhos mais comuns da enxaqueca são:
- Certas comidas (varia de acordo com a pessoa)
- Odores fortes ou fumaça
- Transtornos de humor, como depressão e ansiedade
- Pular doses de algum medicamento
- Baixas taxas de açúcar no sangue (hipoglicemia)
- Mudanças súbitas no tempo
- Luzes muito brilhantes ou que piscam
- Menstruação ou outras mudanças hormonais

Alguns sinais podem indicar uma condição médica séria, como um tumor ou um aneurisma. A luz vermelha deve acender quando você sentir:

- Uma dor de cabeça intensa, que você nunca sentiu antes
- Dor de cabeça que não responda a nenhum tratamento ou medicação
- Dor de cabeça que acorde você do sono
- Febre acompanhada de dor de cabeça
- Confusão ou sintomas neurológicos, como paralisia, junto com a dor de cabeça

“Essas dores de cabeça perigosas são raras, mas os médicos preferem identificá-las o mais rápido possível. Se algo está preocupando você, é melhor ir ao médico” aconselha Beck.

Diamond concorda. “Se você está tendo mais de quatro crises de dor de cabeça por semana, ou está tomando analgésicos em excesso, ou diariamente, deve procurar tratamento adequado.”

* Por Dennis Thompson

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo