Minha Saúde

enhanced by Google
 

Acne

Compartilhar:
Conteúdo exclusivo para o iG no Brasil e usado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Definição

A acne é uma doença de pele que causa a formação de espinhas, cravos e lesões vermelhas inflamadas (pápulas, pústulas e cistos). Essas formações são normalmente chamadas de "espinhas".

Nomes alternativos

Acne vulgar; Acne cística; Espinhas

Causas, incidência e fatores de risco

A acne ocorre quando orifícios minúsculos na superfície da pele, chamados de poros, ficam obstruídos. Cada poro é uma abertura para um canal chamado de folículo que contém um pelo e uma glândula sebácea.

Foto: ADAM

Glândula sebácea do folículo do pelo

Normalmente, as glândulas sebáceas ajudam a manter a pele lubrificada e a remover as células mortas da pele. Quando as glândulas produzem óleo em excesso, os poros podem ficar bloqueados, acumulando sujeira e bactérias. A obstrução é chamada de comedão.

O topo do comedão pode ser branco (espinha) ou preto (cravo). Se ele se rompe, o material interno, incluindo óleo e bactérias, pode se espalhar para a área ao redor e causar uma reação inflamatória. Se a inflamação estiver profunda na pele, as espinhas podem aumentar até formar um cisto rígido e dolorido.

A acne normalmente aparece no rosto e nos ombros, mas também pode ocorrer no tronco, braços, pernas e nádegas. Ela é mais comum em adolescentes, mas pode acontecer em qualquer idade, mesmo em bebês.

Três em cada quatro adolescentes apresentam acne de algum grau, provavelmente causada por alterações hormonais que estimulam a produção de óleo. Entretanto, as pessoas entre 30 e 40 anos também podem ter acne.

A acne tende a atingir pessoas da mesma família e pode ser desencadeada por:

  • Alterações hormonais relacionadas à menstruação, gravidez, pílulas anticoncepcionais ou estresse
  • Produtos oleosos, cosméticos e para os cabelos
  • Determinados medicamentos (como esteroides, testosterona, estrogeno e fenitoína)
  • Níveis altos de umidade e suor

Foto: ADAM

Lesões de acne frequentemente contêm pus. Esta fotografia aproximada mostra pequenas pústulas de acne com inflamação ao redor

Apesar da crença popular de que chocolate, frutas secas e outros alimentos causem acne, as pesquisas realizadas até hoje não confirmam isso.

Sintomas

  • Cravos
  • En crostação das erupções da pele
  • Cistos
  • Pústulas
  • Vermelhidão ao redor das erupções da pele
  • Cicatrizes
  • Espinhas

Sinais e testes

O médico pode diagnosticar a acne com base na aparência da pele.

Tratamento

Cuidados caseiros para diminuir os efeitos da acne:

  • Limpe a pele suavemente com um sabonete suave e hidratante (como Dove, Neutrogena). Retire toda a sujeira ou maquiagem. Lave o rosto uma ou duas vezes ao dia, inclusive após se exercitar. Entretanto, evite lavar a pele repetidamente ou em excesso
  • Aplique shampoo nos cabelos diariamente, principalmente se forem oleosos. Penteie os cabelos para trás ou prenda-os para que não fiquem no rosto. Evite usar faixas apertadas na cabeça
  • Tente não espremer, apertar ou coçar as espinhas. Embora seja tentador, isso pode causar infecções e cicatrizes na pele
  • Evite tocar no rosto com as mãos ou os dedos
  • Evite cremes ou cosméticos oleosos. Use fórmulas a base de água ou "não comedogênicas". Retire a maquiagem à noite. Os produtos não comedogênicos já foram testados e provaram não obstruir os poros e causar acne

Se esses cuidados não diminuírem as imperfeições a um nível aceitável, experimente os medicamentos contra acne vendidos sem receita médica. Esses produtos são aplicados diretamente na pele. Eles podem conter peróxido de benzoíla, enxofre, resorcinol e ácido salicílico. Eles matam as bactérias secando o óleo e fazendo a primeira camada da pele descascar e podem causar vermelhidão ou descamação. Se as espinhas ainda forem um problema, o dermatologista pode receitar medicamentos mais potentes e indicar outras opções.

Possíveis medicamentos receitados:

  • Antibióticos tópicos (por via oral) como minociclina, doxiciclina, tetraciclina, eritromicina e amoxicilina
  • Antibióticos tópicos (aplicados na pele) como clindamicina, eritromicina ou dapsona
  • Creme ou gel de ácido retinoico e comprimidos de isotretinoína - mulheres grávidas e adolescentes sexualmente ativas NÃO devem tomar isotretinoína, pois ele causa graves defeitos de nascença
  • As mulheres que tomam isotretinoína devem usar duas formas de contracepção antes de começar a tomar o medicamento
  • Fórmulas receitadas com peróxido de benzoíla, enxofre, resorcinol ou ácido salicílico
  • Um comprimido chamado spironolactone pode ajudar as mulheres com acne controlada hormonalmente
  • Um procedimento a laser chamado de terapia fotodinâmica também pode ser eficaz

Foto: ADAM

Cravos (comedões) são comuns na acne: folículos capilares obstruídos refletem a luz de forma irregular para produzir esse matiz preto

As pílulas anticoncepcionais algumas vezes podem ajudar a diminuir a acne. Em alguns casos, porém, elas podem piorar o quadro.

O médico também pode recomendar um peeling químico, a remoção de cicatrizes por dermoabrasão ou remoção, drenagem ou injeção de cistos.

Um pouco de exposição ao sol pode melhorar a acne. Entretanto, a exposição excessiva à luz do sol ou aos raios ultravioletas não é recomendada porque ela aumenta o risco de câncer de pele.

Expectativas (prognóstico)

A acne geralmente diminui após a adolescência, mas pode durar até a meia idade. A doença, em geral, responde bem ao tratamento depois de seis ou oito semanas,mas ataques podem ocorrer periodicamente. Se a acne grave não for tratada, podem ocorrer muitas cicatrizes. Algumas pessoas, principalmente os adolescentes, podem ficam muito deprimidos se a acne não for tratada.

Complicações

Possíveis complicações incluem:

  • Alterações na cor da pele
  • Cistos
  • Danos à autoestima, confiança, personalidade e vida social
  • Cicatrizes faciais permanentes
  • Efeitos colaterais do Accutane (incluindo pele e membranas de muco muito secas, níveis altos de triglicerídeos, danos ao fígado e defeitos de nascença; ligue para o médico imediatamente se você engravidar enquanto estiver tomando esse medicamento)
  • Efeitos colaterais de outros medicamentos

Ligando para o médico

Ligue para seu médico ou para um dermatologista se:

  • Os cuidados caseiros e medicamentos vendidos sem receita não ajudarem após vários meses
  • A acne for grave (p. ex., se você apresentar muita vermelhidão ao redor das espinhas ou tiver cistos) ou piorar
  • Você desenvolver cicatrizes conforme a acne diminui
  • Ligue para o pediatra se seu bebê apresentar acne que não diminui sozinha dentro de três meses

Foto: ADAM

A acne pode persistir na idade adulta

A face é o local mais comum da acne e pode ter um profundo impacto psicológico e causar cicatrizes. Existem tratamentos eficazes disponíveis para esse tipo de acne. Os homens são mais afetados nos ombros e nas costas que as mulheres.

Acne cística (ou acne nodulocística) é a forma mais grave de acne. A pele apresenta tanto pústulas quanto saliências vermelhas rígidas. Esta forma de acne é mais difícil de tratar e geralmente exige a administração oral de um derivado da vitamina A.

A acne afeta as áreas da pele que contêm glândulas sebáceas, incluindo a face, o tórax superior e as costas. Ela ocorre mais comumente durante a adolescência. Há muitos tratamento disponíveis para a acne, especialmente para os tipos mais graves.

Em bebês, a acne normalmente é vista nas bochechas, no queixo e na testa. Pode apresentar-se no nascimento, mas seu desenvolvimento é mais comum com três a quatro semanas de idade. A acne em bebês ocorre quando mudanças hormonais no corpo estimulam as glândulas sebáceas em sua pele.

Foto: ADAM

Acne em bebês

A condição pode parecer pior quando o bebê chora ou se agita, ou em qualquer situação que aumente o fluxo sanguíneo na pele. A acne em bebês é inofensiva e normalmente desaparece sozinha em algumas semanas. 

Referências

Acne, rosacea, and related disorders. In: Habif TP, ed. Clinical Dermatology. 5th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2009:chap 7.

Atualizado em 30/10/2010, por: David C. Dugdale, III, MD, Professor of Medicine, Division of General Medicine, Department of Medicine, University of Washington School of Medicine. Also reviewed by Kevin Berman, MD, PhD, Atlanta Center for Dermatologic Disease, Atlanta, GA. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, A.D.A.M., Inc.

Todas as doenças

A A.D.A.M., Inc. é reconhecida pela URAC, também chamada de American Accreditation HealthCare Commission (Comissão de Reconhecimento de Cuidados de Saúde) – www.urac.org. O programa de reconhecimento da URAC é uma auditoria independente com o objetivo de verificar se a A.D.A.M. segue padrões rigorosos de qualidade e responsabilidade. A A.D.A.M. está entre as primeiras empresas a conquistar essa importante distinção para informações e serviços de saúde on-line. Saiba mais sobre a política editorial, o processo editorial e a política de privacidade da A.D.A.M. A empresa é também um membro fundador da Hi-Ethics e segue os princípios da Health on the Net Foundation (Fundação da Saúde na Internet) – www.hon.ch.

As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- 2011 A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.

Ver de novo