Minha Saúde

enhanced by Google
 

Enxaqueca

Compartilhar:
Conteúdo exclusivo para o iG no Brasil e usado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Definição

A enxaqueca é um tipo comum de dor de cabeça que pode ocorrer com sintomas como náuseas, vômitos ou sensibilidade à luz. Muitas pessoas sentem uma dor latejante em somente um dos lados da cabeça.

Algumas pessoas que sofrem de enxaqueca têm sintomas de aviso, chamados de aura, antes que comece a enxaqueca propriamente. A aura é um grupo de sintomas, geralmente distúrbios visuais, que serve como um sinal de aviso de que uma dor de cabeça muito forte está chegando. A maioria das pessoas, entretanto, não tem esses sinais de aviso.

Consulte também:

Nomes alternativos

Cefaleia, migrânea

Foto: ADAM

Enxaqueca

 

Causas, incidência e fatores de risco

Muitas pessoas têm enxaquecas – cerca de 11 em 100. As dores de cabeça tendem a aparecer pela primeira vez entre os 10 e os 46 anos. Ocasionalmente, as enxaquecas podem acontecer mais tarde em uma pessoa sem histórico dessas dores.

As enxaquecas ocorrem mais frequentemente em mulheres que em homens e podem ser genéticas. As mulheres podem ter menos enxaquecas durante a gravidez. A maior parte das mulheres com esse tipo de dor de cabeça tem menos episódios durante os dois últimos trimestres da gravidez.

A enxaqueca é causada por uma atividade anormal do cérebro, que é desencadeada pelo estresse, alguns alimentos, fatores ambientais, entre outros. Porém, a cadeia de eventos exata continua incerta.

Os cientistas acreditavam que as enxaquecas se deviam a alterações nos vasos sanguíneos do cérebro. Hoje, a maioria dos especialistas acredita que o ataque na verdade começa no próprio cérebro, envolvendo vários elementos químicos e circuitos neurais. As alterações afetam o fluxo sanguíneo no cérebro e nos tecidos adjacentes.

Os ataques de enxaqueca podem ser desencadeados por:

  • Álcool
  • Reações alérgicas
  • Luz forte
  • Certos cheiros ou perfumes
  • Alterações nos níveis hormonais (que podem ocorrer durante o ciclo menstrual feminino ou com o uso de contraceptivos orais)
  • Alterações nos padrões de sono
  • Exercícios físicos
  • Ruídos fortes
  • Saltar refeições
  • Estresse físico ou emocional
  • Fumar ou ser exposto à fumaça

Alguns alimentos e conservantes de alimentos podem desencadear enxaquecas em algumas pessoas.

Os desencadeadores relacionados com a comida incluem:

  • Qualquer alimento processado, fermentado, marinado ou em conserva
  • Assados
  • Chocolate
  • Produtos lácteos
  • Alimentos contendo glutamato monossódico (GMS)
  • Alimentos contendo tiramina, como vinho tinto, queijos curtidos, peixe defumado, fígado de galinha, figos e certos tipos de feijão
  • Frutas (abacate, banana e frutas cítricas)
  • Carne contendo nitratos (bacon, salsicha, salame, carnes curadas)
  • Castanhas
  • Cebolas
  • Manteiga de amendoim

Essa lista pode não incluir todos os desencadeadores.

A verdadeira enxaqueca não é resultante de um tumor cerebral ou de outro problema medicinal grave. Contudo, somente um médico experiente pode determinar se seus sintomas se devem a uma enxaqueca ou a outra doença.

Sintomas

Os distúrbios visuais, ou aura, são considerados um "sinal de aviso" de que a enxaqueca vai começar.

A aura ocorre nos dois olhos e pode envolver qualquer um dos itens a seguir, ou todos:

  • Um ponto cego temporário
  • Vista embaçada
  • Dor nos olhos
  • Ver estrelas ou linhas em ziguezague
  • Visão de túnel

Nem todas as pessoas que sofrem de enxaquecas têm aura. As que têm, geralmente desenvolvem alguma cerca de 10 a 15 minutos antes da dor de cabeça. Entretanto, ela pode ocorrer de alguns minutos a 24 horas antes. Pode não ocorrer enxaqueca depois da aura.

A enxaqueca pode ser leve ou severa. A dor pode ser sentida atrás dos olhos ou na parte posterior da cabeça e do pescoço Para muitos pacientes, as dores de cabeça começam sempre do mesmo lado.

Em geral, as dores de cabeça:

  • São latejantes ou pulsantes
  • São piores de um lado da cabeça
  • Começam como uma dor leve e pioram em minutos ou horas
  • Duram de 6 a 48 horas

Outros sintomas que podem ocorrer com a dor de cabeça:

  • Calafrios
  • Aumento da micção
  • Fadiga
  • Perda de apetite
  • Náuseas e vômito
  • Dormência, formigamento ou fraqueza
  • Problemas de concentração, dificuldade para encontrar as palavras
  • Sensibilidade à luz ou ao som
  • Transpiração excessiva

Os sintomas podem continuar mesmo depois de terminada a enxaqueca. Os pacientes com enxaqueca às vezes chamam esses sintomas de "ressaca" da enxaqueca.

Eles podem incluir:

  • Sentir que está lento mentalmente, como se seu raciocínio não fosse claro ou preciso
  • Maior necessidade de sono
  • Dor no pescoço

Exames e testes

Foto: ADAM

Tomografia computadorizada do cérebro

Seu médico pode diagnosticar esse tipo de dor de cabeça fazendo perguntas sobre seus sintomas e histórico familiar de enxaquecas. Será feito um exame físico completo para determinar se as dores de cabeça se devem à tensão muscular, problemas nos seios nasais ou uma doença cerebral grave.

Não há um exame específico para provar que sua dor de cabeça seja realmente uma enxaqueca. Entretanto, seu médico poderá pedir uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada se você nunca tiver feito um desses exames.

Se você tem uma enxaqueca com sintomas incomuns como fraqueza, problemas de memória ou perda do estado de alerta, pode ser necessário um eletroencefalograma para excluir convulsões. Uma punção lombar pode ser necessária.

Tratamento

Não há cura específica para a enxaqueca. O objetivo é prevenir os sintomas evitando ou alterando seus desencadeadores.

Uma boa forma de identificar os desencadeadores é manter um diário de suas dores de cabeça. Anote:

  • Quando suas dores de cabeça ocorrem
  • O grau de severidade
  • O que você comeu
  • Quantas horas de sono você dormiu
  • Outros sintomas
  • Outros fatores possíveis (as mulheres devem anotar o momento do ciclo menstrual)

Por exemplo, o diário pode revelar que suas dores de cabeça tendem a ocorrer com mais frequência nos dias em que você acorda mais cedo que o normal. Alterar seus horários de sono pode resultar em menos episódios de enxaqueca.

Quando tiver os sintomas da enxaqueca, tente tratá-los imediatamente. A dor de cabeça pode ser menos grave.

Quando os sintomas da enxaqueca começarem:

  • Beba água para evitar a desidratação, principalmente se tiver vomitado
  • Descanse em um quarto silencioso e escuro
  • Coloque um pano frio na cabeça

Existem muitos medicamentos disponíveis para as pessoas com enxaqueca.

Os medicamentos são utilizados para:

  • Reduzir o número de ataques
  • Interromper a enxaqueca quando ocorrerem os primeiros sintomas
  • Tratar a dor e outros sintomas

REDUZINDO OS ATAQUES

Se você tem enxaqueca frequentemente, seu médico pode receitar medicamentos para reduzir o número de ataques. Esses medicamentos precisam ser tomados diariamente para que sejam eficazes.

Esses remédios podem incluir:

  • Antidepressivos como a amitriptilina
  • Medicamentos para a pressão arterial como os bloqueadores beta (propanolol) ou bloqueadores do canal de cálcio (verapamil)
  • Medicamentos anticonvulsivos como valproato, gabapentina e topiramato
  • Inibidores seletivos da recaptação da serotonina (SSRIs) como a venlafaxina
  • Inibidores seletivos da recaptação de norepinefrina (SNRIs) como a duloxetina

INTERROMPENDO UM ATAQUE

Outros medicamentos são usados com o primeiro sinal de um ataque de enxaqueca. Muitas vezes, os analgésicos de venda livre como paracetamol, ibuprofeno ou aspirina são úteis, principalmente se sua enxaqueca é branda. Se eles não ajudarem, consulte seu médico sobre medicamentos com receita.

Entretanto, saiba que o abuso ou uso indevido desses medicamentos pode resultar em cefaleias de rebote. As cefaleias crônicas ocorrem normalmente em pessoas que tomam analgésicos mais de 3 dias por semana de forma contínua.

Seu médico pode escolher entre vários tipos diferentes de medicamentos, inclusive:

  • Triptanos, os medicamentos mais frequentemente prescritos para interromper os ataques de enxaqueca, como almotriptano, frovatriptano, rizatriptano, sumatriptano e zolmitriptano
  • Ergots como diidroergotamina ou ergotamina com cafeína
  • Isometepteno

Esses medicamentos vêm em diferentes formatos. Aos pacientes que têm náuseas e vômitos com as enxaquecas, podem ser receitados sprays nasais, supositórios ou injeções, em vez de comprimidos orais.

Alguns medicamentos para a enxaqueca estreitam os vasos sanguíneos e não deverão ser tomados se você tiver risco de ataque cardíaco ou tiver doenças cardíacas, a menos que seja recomendado por seu médico. Os ergots não deverão ser tomados se você estiver grávida ou planejando engravidar, porque eles podem causar efeitos colaterais graves no feto.

TRATANDO OS SINTOMAS

Outros medicamentos são administrados principalmente para tratar os sintomas da enxaqueca. Usados separadamente ou em conjunto, essas drogas podem reduzir a dor, náuseas e o estresse emocional.

Os medicamentos desse grupo incluem:

  • Medicamentos para as náuseas como a proclorperazina
  • Os analgésicos de venda livre como o paracetamol
  • Sedativos como o butabarbital
  • Medicamentos narcóticos como a petidina
  • Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) como o ibuprofeno

Se você quiser tentar uma alternativa, a erva Tanacetum parthenium é muito usada para a enxaqueca. Muitos estudos, mas não todos, apoiam o uso da Tanacetum parthenium para tratar a enxaqueca. Se você estiver interessado em experimentá-la, certifique-se de que seu médico aprove o tratamento.

Além disso, saiba que nem todos os remédios com plantas medicinais vendidos nas farmácias e em lojas de alimentos naturais são regulamentados. Peça a ajuda de um herbologista especializado ao escolher as ervas.

Evolução (prognóstico)

Cada pessoa responde de maneira diferente ao tratamento. Algumas pessoas têm dores de cabeça que requerem pouco ou nenhum tratamento. Outras precisam usar vários medicamentos ou mesmo hospitalização ocasional.

Complicações

A enxaqueca é um fator de risco para AVC, tanto em homens quanto em mulheres.

As enxaquecas em geral não representam uma ameaça significativa para a saúde geral. Entretanto, elas podem ser um problema a longo prazo (crônico) e interferir com seu cotidiano.

Ligando para o médico

Recorra ao especialista se:

  • Você estiver sentindo "a pior dor de cabeça da sua vida"
  • Você apresentar dificuldades para se movimentar, enxergar ou falar, ou apresentar perda de equilíbrio, principalmente se nunca tiver tido esses sintomas junto com uma dor de cabeça
  • Sua dor de cabeça for mais grave quando você estiver deitado
  • A dor de cabeça começar repentinamente

Também ligue para seu médico se:

  • Sua dor ou o padrão regular da dor de cabeça mudar
  • Os tratamentos que fizeram efeito no passado não estiverem mais ajudando
  • Você sentir efeitos colaterais do medicamento, incluindo batimentos cardíacos irregulares, pele pálida ou azulada, sonolência extrema, tosse persistente, depressão, fadiga, náusea, vômito, diarreia, constipação, dor de estômago, cólicas, boca seca ou sede extrema
  • Você estiver grávida ou se essa for uma possibilidade, já que alguns medicamentos não devem ser tomados durante a gravidez

Consulte o artigo geral sobre dores de cabeça para obter mais informações sobre sintomas críticos

Prevenção

Compreender quais são os desencadeadores da cefaleia pode ajudar a evitar as situações que causam essas dores. Mantenha um diário de suas dores de cabeça para identificar a origem ou o desencadeador de seus sintomas. Depois, modifique o ambiente ou seus hábitos para evitar dores de cabeça futuras.

Outras dicas para prevenir a enxaqueca incluem:

  • Evite fumar
  • Evite o consumo de álcool
  • Evite adoçantes artificiais e outros desencadeadores conhecidos relacionados com alimentos
  • Faça exercícios regularmente
  • Durma bastante todas as noites
  • Aprenda a relaxar e a reduzir o estresse. Alguns pacientes descobriram que o biofeedback e a auto-hipnose ajudam a reduzir o número de ataques de enxaqueca

Referências

Wilson JF. In the clinic: migraine. Ann Intern Med. 2007;147(9):ITC11-1-ITC11-16.

Ebell MH. Diagnosis of migraine headache. Am Fam Physician. 2006;74(12):2087-2088.

Detsky ME, McDonald DR, et al. Does this patient with headache have a migraine or need neuroimaging? JAMA. 2006;296(10):1274-1283.

Lipton RB, Bigal ME, Steiner TJ, Silberstein SD, Olesen J. Classification of primary headaches. Neurology. 2004;63(3):427-435.

Silberstein SD, Young WB. Headache and facial pain. In: Goetz CG. Textbook of Clinical Neurology. 3rd ed. St. Louis, Mo: WB Saunders; 2007:chap. 53.

Atualizado em 22/11/2010, por: Kevin Sheth, MD, Department of Neurology, University of Maryland School of Medicine, Baltimore, MD. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, A.D.A.M., Inc.

Todas as doenças

A A.D.A.M., Inc. é reconhecida pela URAC, também chamada de American Accreditation HealthCare Commission (Comissão de Reconhecimento de Cuidados de Saúde) – www.urac.org. O programa de reconhecimento da URAC é uma auditoria independente com o objetivo de verificar se a A.D.A.M. segue padrões rigorosos de qualidade e responsabilidade. A A.D.A.M. está entre as primeiras empresas a conquistar essa importante distinção para informações e serviços de saúde on-line. Saiba mais sobre a política editorial, o processo editorial e a política de privacidade da A.D.A.M. A empresa é também um membro fundador da Hi-Ethics e segue os princípios da Health on the Net Foundation (Fundação da Saúde na Internet) – www.hon.ch.

As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- 2011 A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.

Ver de novo