Minha Saúde

enhanced by Google
 

Hipertensão pulmonar

Compartilhar:
Conteúdo exclusivo para o iG no Brasil e usado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Definição

A hipertensão pulmonar é uma pressão arterial anormalmente alta nas artérias dos pulmões. Ela faz com que o lado direito do coração precise trabalhar com mais dificuldade do que o normal.

Causas, incidência e fatores de risco

O lado direito do coração bombeia sangue através dos pulmões, onde o sangue pode receber oxigênio. Quando as artérias pequenas (vasos sanguíneos) do pulmão ficam estreitas, elas não podem transportar muito sangue. Quando isso acontece, a pressão aumenta. Isso é denominado hipertensão pulmonar.

O coração precisa trabalhar mais para forçar o sangue através dos vasos contra essa pressão. Ao longo do tempo, o lado direito do coração pode aumentar. Em algum ponto, não flui sangue suficiente para os pulmões para absorver oxigênio, então começam os sintomas.

Neste ponto, a insuficiência cardíaca que envolve o lado direito do coração está presente. Isso é denominado cor pulmonale.

A hipertensão pulmonar pode ser causada por:

  • Qualquer condição que cause níveis baixos crônicos de oxigênio no sangue
  • Distúrbios autoimunes que lesam os pulmões, como esclerodermia e artrite reumatoide
  • Determinados defeitos de nascença no coração
  • Determinados medicamentos para dietas
  • Insuficiência cardíaca congestiva
  • Histórico de coágulo de sangue no pulmão
  • Infecção por HIV
  • Doença pulmonar ou da válvula cardíaca
  • Apneia obstrutiva do sono

Em muitos casos, quando a causa não é detectada, a condição é conhecida como hipertensão arterial pulmonar idiopática (HAPI). A HAPI é rara. Ela afeta mais mulheres do que homens.

Se ela é causada por um medicamento ou condição médica conhecida, é chamada de hipertensão pulmonar secundária.

Foto: ADAM

Hipertensão pulmonar primária

Sintomas

Deficiência respiratória ou sensação de desfalecimento durante alguma atividade é frequentemente o primeiro sintoma.

  • Frequência cardíaca acelerada (palpitações) pode estar presente
  • Ao longo do tempo, os sintomas ocorrem com atividade mais leve ou mesmo em repouso

Outros sintomas incluem:

  • Inchaço dos tornozelos e pernas
  • Lábios ou pele azulada (cianose)
  • Dor ou pressão no peito, geralmente na frente do tórax
  • Vertigem ou desmaios
  • Cansaço
  • Fraqueza

Exames e testes

Um exame físico pode mostrar:

  • Sons anormais no coração (especialmente uma divisão do segundo som do coração)
  • Dilatação das veias no pescoço
  • Sensação de uma pulsação sobre o esterno
  • Sopro cardíaco
  • Inchaço nas pernas
  • Inchaço no fígado e baço
  • Sons respiratórios normais

Nos estágios iniciais da doença, o exame pode ser normal ou quase normal. O problema pode levar vários meses para ser diagnosticado. A asma causa sintomas semelhantes e deve ser descartada.

Os testes incluem:

Tratamento

Não existe nenhuma cura conhecida. O objetivo do tratamento é controlar os sintomas. É importante tratar dos distúrbios médicos que causam hipertensão pulmonar, como apneia obstrutiva do sono, condições pulmonares e distúrbios de válvulas cardíacas.

Foto: ADAM

Sistema respiratório: o ar é inspirado através das passagens nasais, percorre a traqueia, os brônquios e vai até os pulmões

Várias opções novas de tratamento para hipertensão arterial pulmonar idiopática (HAPI) e outras formas de hipertensão arterial pulmonar estão sendo disponibilizadas.

Medicamentos usados para tratar da hipertensão pulmonar incluem:

  • Ambrisentan
  • Bosentan
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
  • Diurético
  • Prostaciclina ou medicamentos semelhantes
  • Sildenafil

Seu médico decidirá qual medicamento é melhor para você. Você será rigorosamente monitorado durante o tratamento para observar os efeitos colaterais e ver como está reagindo ao medicamento. Nunca pare de tomar medicamentos sem conversar com seu médico.

Alguns pacientes devem usar anticoagulantes para reduzir o risco de coágulos de sangue nas veias das pernas e artérias pulmonares.

Pessoas com casos avançados de hipertensão arterial pulmonar podem precisar de oxigênio. Se o tratamento com medicamentos falhar, os candidatos adequados podem ser ajudados por um transplante de pulmão ou coração-pulmão.

À medida que a doença progredir, você precisará fazer mudanças no ambiente doméstico e obter mais ajuda em casa.

Outras dicas importantes a serem seguidas:

  • Evitar gravidez
  • Evitar atividades exaustivas e levantamentos de peso
  • Evitar viajar para altas altitudes
  • Manter-se atualizado com vacinas anuais contra influenza e pneumonia pneumocócica
  • Parar de fumar

Evolução (prognóstico)

A perspectiva de longo prazo foi deficiente, mas as novas terapias podem produzir resultados melhores. Algumas pessoas com esta condição podem desenvolver insuficiência cardíaca progressiva que pode levar à morte.

Ligando para seu médico

Ligue para seu médico se:

  • Você começar a apresentar deficiência respiratória quando estiver ativo
  • A deficiência respiratória piorar
  • Você apresentar dor no peito
  • Você apresentar outros sintomas

A maioria dos pacientes com hipertensão arterial pulmonar é tratada em centros especializados em assistência desses pacientes.

Referências

Badesch DB, Abman SH, Simonneau G, et al. Medical Therapy for Pulmonary Arterial Hypertension Updated ACCP Evidence-Based Clinical Practice Guidelines. Chest. 2007: 131(6).

McLaughlin VV, Archer SL, Badesch DB, Barst RJ, Farber HW, Lindner JR, et al: American College of Cardiology Foundation Task Force on Expert Consensus Documents; American Heart Association; American College of Chest Physicians; American Thoracic Society, Inc; Pulmonary Hypertension Association. ACCF/AHA 2009 expert consensus document on pulmonary hypertension: a report of the American College of Cardiology Foundation Task Force on Expert Consensus Documents and the American Heart Association developed in collaboration with the American College of Chest Physicians: American Thoracic Society, Inc; and the Pulmonary Hypertension Association. J Am Coll Cardiol. 2009;53:1573-1619.

Todas as doenças
Ver de novo