Minha Saúde

enhanced by Google
 

Pericardite

Compartilhar:
Conteúdo exclusivo para o iG no Brasil e usado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Foto: ADAM

Pericardite

Definição

A pericardite é um distúrbio causado pela inflamação do pericárdio, o revestimento semelhante a um saco que envolve o coração.

A pericardite pode ser causada por infecções bacterianas, fúngicas ou virais. Também pode ser resultado de uma lesão ou trauma no tórax, esôfago ou coração.

A dor ocorre como resultado de o pericárdio inflamado ser friccionado contra o coração.Consulte também: Pericardite bacteriana

Causas, incidência e fatores de risco

A pericardite geralmente é uma complicação de infecções virais, mais comumente ECHO vírus ou Coxsackie. Com menos frequência, ela é causada por gripe ou infecção pelo HIV.

Infecções com bactérias podem levar à pericardite bacteriana (também chamada pericardite purulenta). Algumas infecções fúngicas também podem causar pericardite.

Além disso, a pericardite pode estar associada a doenças como:

Outras causas incluem:

  • Ataque cardíaco (consulte pericardite pós-infarto do miocárdio)
  • Lesão (inclusive cirurgia) ou trauma no tórax, esôfago ou coração
  • Medicamentos que suprimem o sistema imunológico
  • Miocardite
  • Radioterapia no tórax

Frequentemente a causa da pericardite permanece desconhecida. Neste caso, a condição é chamada pericardite idiopática.

A pericardite ocorre com mais frequência em homens dos 20 aos 50 anos de idade e geralmente após infecções respiratórias. Em crianças é mais comumente causada por adenovírus e vírus Coxsackie.

Sintomas

  • Inchaço nos tornozelos, nos pés e nas pernas (ocasionalmente)
  • Ansiedade
  • Dificuldade para respirar ao se deitar
  • Dor no peito, causada pelo pericárdio inflamado que fricciona contra o coração
    • Pode se irradiar para o pescoço, os ombros, as costas ou o abdome
    • Frequentemente, aumenta com respiração profunda e ao se deitar e pode aumentar com tosse e deglutição
    • Tipo de pleurite: dor aguda, penetrante
    • Geralmente, aliviada ao se sentando de forma ereta e inclinando para a frente
  • Tosse seca
  • Cansaço
  • Febre
  • Necessidade de se curvar ou segurar o tórax ao respirar

Exames e testes

Foto: ADAM

O pericárdio é um saco de duas camadas que envolve o coração. O fluido é contido dentro das camadas e lubrifica as superfícies em constante atrito

Ao auscultar o coração com um estetoscópio, o médico pode ouvir um som chamado atrito pericárdico. Os sons do coração podem estar fracos ou distantes. Pode haver outros sinais de líquido no pericárdio (efusão pericárdica).

Se o distúrbio for grave, pode haver:

  • Estalidos nos pulmões
  • Sons enfraquecidos de respiração
  • Outros sinais de líquido no espaço ao redor dos pulmões (efusão pleural)

Se o líquido tiver se acumulado no saco pericárdico, ele pode aparecer em:

Esses testes mostram:

  • Aumento do tamanho do coração
  • Sinais de inflamação
  • Cicatrização e contratura do pericárdio (pericardite constritiva)

Outras descobertas variam dependendo da causa da pericardite.

Para descartar ataque cardíaco, o médico pode solicitar níveis de marcadores cardíacos seriais (CPK-MB e troponina).

Outros testes de laboratório podem incluir:

  • Hemocultura
  • Hemograma completo
  • Proteína C-reativa
  • Taxa de sedimentação de eritrócitos (ESR)
  • Sorologia para HIV
  • Pericardiocentese, com análise química e cultura do líquido pericárdico
  • Teste tuberculínico

Tratamento

A causa da pericardite deve ser identificada, se possível.

Os medicamentos incluem:

  • Analgésicos para dor
  • Antibióticos para pericardite bacteriana
  • Medicamentos antifúngicos para pericardite fúngica
  • Aspirina ou um anti-inflamatório não esteroide (AINE) como ibuprofeno para inflamação do pericárdio
  • Corticosteroides como prednisone (em alguns pacientes)
  • Colchicina

Se o acúmulo de líquido no pericárdio tornar o funcionamento do coração insuficiente ou produzir tamponamento cardíaco, é necessário drenar o líquido do saco. Esse procedimento, chamado pericardiocentese, pode ser feito usando uma agulha guiada por ecocardiograma ou uma pequena cirurgia.

Se a pericardite for crônica, recorrente ou causar pericardite constritiva, pode ser recomendado o corte ou a remoção de parte do pericárdio.

 

Evolução (prognóstico)

A pericardite pode variar de casos brandos que se tornam melhores por si mesmos a casos que colocam a vida em risco. A condição pode ser complicada por acúmulo significativo de líquido ao redor do coração e funcionamento cardíaco insatisfatório.

O resultado é bom se o distúrbio for tratado imediatamente. A maioria das pessoas se recupera em 2 semanas a 3 meses. No entanto, a pericardite pode voltar.

Complicações

  • Arritmias
  • Tamponamento cardíaco
  • Pericardite constritiva, que pode se desenvolver para insuficiência cardíaca

Ligando para seu serviço de assistência médica

Ligue para seu médico se sentir sintomas de pericardite. Este distúrbio pode colocar a vida em risco se não for tratado.

Prevenção

Muitos casos não podem ser evitados.

Referências

LeWinter MM. Pericardial diseases. In: Libby P, Bonow RO, Mann DL, Zipes DP. Braunwald's Heart Disease: A Textbook of Cardiovascular Medicine. 8th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2007:chap 70.

Todas as doenças
Ver de novo