Tamanho do texto

Doses de droga experimental, aplicada em médicos nos EUA, será usada em agentes de saúde no país da África Ocidental

O presidente dos EUA, Barack Obama, aprovou um pedido do governo da Libéria para enviar ao país doses experimentais de uma droga que teria se mostrado efetiva contra o vírus ebola. A medida foi divulgada em nota pelo Poder Executivo do país da África Ocidental, nesta segunda-feira (11)

Veja fotos do surto de ebola na costa oeste do continente africano:

O envio das doses experimentais é uma resposta direta a uma solicitação urgente enviada na última sexta-feira (11) pela presidente liberiana, Ellen Jonhson Sirleaf, a Barack Obama. Nela foi explicada que o Serum seria usado para tratar médicos da Libéria infectados pelo vírus, que já matou mais de 900 pessoas na África Ocidental - especialmente no país e em seus vizinhos República da Guiné e Serra Leoa.

Leia também:
Médico norte-americano com Ebola diz estar "cada dia mais forte"
Guiné fecha fronteiras com Serra Leoa e Libéria em tentativa de conter Ebola

Ao mesmo tempo em que o governo norte-americano confirmou o envio do Serum ainda para os próximos dias, o diretor-executivo da OMS (Organização Mundial da Saúde), Dr. Margaret Chan, também autorizou o despacho de doses adicionais da droga à Libéria para ajudar no tratamento de outros médicos afetados.

Na última sexta, o médico texano Kent Brantly, que está recebendo tratamento contra o ebola em Atlanta, nos EUA, declarou que está a "cada dia mais forte", provavelmente graças à droga Serum. 

Apesar da fraqueza, Nancy Writebol, que também contraiu o vírus trabalhando na Libéria, tem se recuperado, segundo disse na semana passada seu marido, David Writebol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.