Tamanho do texto

Casos passaram de 280 para 624 em cinco anos; recomendação é vigiar limpeza dos restaurantes

Agência Brasil

O número de pacientes com intoxicação alimentar atendidos no Hospital do Coração (Hcor), em São Paulo, cresceu 122% entre os anos de 2009 e 2013, passando de 280 casos para 624 a cada ano. Para Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do HCor, isso decorre principalmente do fato das pessoas estarem comendo cada vez mais fora de casa.

Intoxicação alimentar só aumenta, segundo secretaria de Saúde
Getty Images
Intoxicação alimentar só aumenta, segundo secretaria de Saúde

“As pessoas estão comendo cada vez mais fora de casa e sem os cuidados devidos. Isso pode representar a origem de muitas contaminações”, disse Magnoni, responsável pelo levantamento. “A falta de tempo para cozinhar, a distância entre local de trabalho e residência, além da crescente oferta de restaurantes por quilo, fast food e outros influenciam nesse padrão de comportamento”, acrescentou.

Leia também: 9 dicas para evitar a intoxicação alimentar com o ovo

Dados do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo mostram que, entre 2011 e 2012, ocorreram 307 surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) em todo o estado, sendo que 282 deles foram casos de diarreia. Segundo a secretaria, considera-se surto quando uma ou mais pessoas apresentam a mesma doença após ingerirem água ou alimento da mesma origem.

Para evitar a intoxicação alimentar, o hospital orienta as pessoas que costumam comer fora de casa para que procurem estabelecimentos limpos e que evitem comer alimentos de origem animal na forma crua. Também é importante verificar se os alimentos em buffets estão adequadamente refrigerados e evitar comer cremes e molhos para salada que não estejam sob refrigeração e sobremesas e bolos com recheios cremosos a base de leite e ovos.