Tamanho do texto

Médico que foi em missão humanitária na África apresentou os sintomas da doença e foi internado imediatamente; resultado da contra-prova ainda não foi divulgado

Um médico nova-iorquino que esteve recentemente na Guiné, um dos países africanos afetados pelo surto de ebola, testou positivo para o vírus, confirmaram autoridades sanitárias na noite desta quinta-feira (23).

Craig Spencer, médico da ONG Médicos Sem Fronteiras, é o primeiro caso confirmado de ebola em Nova York, maior cidade dos Estados Unidos. Spencer, de 33 anos, deu entrada no New York City Hospital na manhã desta quinta-feira com fortes dores gastrointestinais e febre alta.

O segundo teste, praxe em casos de suspeita de ebola, ainda não foi divulgado. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que todos os resultados serão divulgados tão logo sejam oficializados.

“Sabemos que poucas pessoas estiveram em contato com ele”, disse o prefeito em coletiva de imprensa. “Todos os protocolos serão seguidos efetivamente”, assegurou.

O departamento de saúde disse que está rastreando todos os movimentos e contatos do paciente para evitar qualquer risco potencial do vírus se espalhar e uma epidemia de ebola assolar Nova York.

*Com agências internacionais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.