Tamanho do texto

Recursos pedidos à Caixa Econômica Federal serão usados para pagar salários e 13º atrasados; provedor pediu afastamento

A Mesa Diretora da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo decidiu em reunião nesta terça-feira (23) que autoriza a utilização de um imóvel na Avenida Paulista como garantia de um empréstimo de R$ 44 milhões pedido à Caixa Econômica Federal.

Os recursos serão utilizados primordialmente para pagamento de salários atrasados e o 13º, segundo informou a asessoria de comunicação da Santa Casa. A instituição afirma que o empréstimo já está em fase adiantada com o banco e a expectativa é de que os recursos sejam liberados em janeiro. 

Leia mais: Santa Casa pede prazo até dia 29 para pagar salários

Em meio à crise, Santa Casa tem dia tranquilo com atendimento ágil e sem filas

Santa Casa de São Paulo pede prazo até 8 de janeiro para regularizar 13º salário

Apenas 30 das 50 pessoas que compõe a Mesa Diretora estavam presentes hoje. Elas também deliberaram pela aceitação do afastamento do provedor, a partir do dia 6 de janeiro. No domingo (21), Kalil já havia pedido o afastamento , após denúncias de superfaturamento de obras e materais e de o Ministério Público recomendar que ele deixasse a instituição.

Em nota oficial, a Santa Casa informou que o advogado Kalil Rocha Abdalla, de 73 anos, pediu afastamento para dar espaço uma sindicância interna no hospital. Ele deve permanecer fora por 90 dias.

Kalil vinha sendo pressionado por funcionários e membros da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia a deixar o cargo. O hospital, que é uma instituição filantrópica, está afundado em dívidas de mais de R$ 800 milhões, segundo auditoria recente. Essa crise financeira foi agravada na gestão de Kalil, quando o débito passou de R$ 80 milhões para bem mais de R$ 800 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.