Tamanho do texto

Mudança nos ponteiros do relógio pode provocar alterações no organismo. Veja como se adaptar mais facilmente

O cenário está anunciado: na próxima semana, devem crescer as queixas de dor de cabeça, cansaço intenso, dificuldades com o sono, mal-estar e tontura. É que a simples mudança dos ponteiros do relógio, que se adiantarão em uma hora na passagem deste sábado para domingo, pode impactar no funcionamento do organismo.

As primeiras alterações sentidas são no sono e o motivo é um hormônio chamado melatonina. Ele é acionado pela falta de luz e o fato dos dias serem mais longos pode fazer com que o corpo humano tenha dificuldade em produzi-lo.

Logo, para se adaptar ao novo horário, é importante evitar situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite. Quanto mais estímulo, maior a dificuldade do organismo para relaxar e pior a qualidade do sono. Quem cobra a fatura é o corpo, no dia seguinte, quando o despertador toca.

Para evitar tudo isso, confira algumas dicas para que o sono não te abandone nesta alteração dos ponteiros:

Mesmo quem não convive com problemas com o sono, portanto, pode ficar durante os primeiros cinco dias de novo horário rolando na cama, de um lado para o outro. É uma situação parecida com outros fenômenos que podem acontecer em qualquer época do ano, como a mudança de turno no trabalho ou o jetleg, aquela situação estranha que surge depois de viagens de avião, em especial quando a origem e o destino têm diferenças grandes no fuso horário.

O problema é que dormir mal não causa só cansaço, pode ser prejudicial para outras áreas: o sistema cardiovascular pode ficar alterado e a incidência de doenças como o infarto tendem a ser mais comuns. Há piora no sistema metabólico e o diabetes também pode ficar descontrolado. Até o regime é comprometido, já que pesquisas recentes já mostraram que dormir pouco é um dos vilões para perder peso.

Leia mais notícias de alimentação e bem estar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.