Tamanho do texto

Rodrigo Cardoso chegou a pesar 160 kg e decidiu emagrecer quando descobriu que estava com pressão alta; após regime, já participou de uma maratona

O designer Rodrigo Cardoso, hoje com 33 anos, estava em uma quadra de tênis quando passou mal. Levado ao pronto-socorro, descobriu que estava com a pressão arterial muito elevada. Foi então que ele realmente percebeu que, apesar dos seus 1,93m de altura, os 167 quilos de peso poderiam trazer problemas mais graves para sua saúde. E decidiu mudar.

Antes do episódio que impulsionou a mudança de estilo de vida, Rodrigo se alimentava muito mal. “Eu comia três lanches de fast-food de uma só vez”, conta. Seus horários de trabalho se estendiam até a madrugada e, por conta do pouco tempo disponível, não conseguia tempo para preparar uma boa refeição. E ele nem podia culpar a herança genética.

Rodrigo sempre foi magro na adolescência. Usa até a palavra ‘raquítico’ quando se refere a quanto pesava há mais de 15 anos. Acabou engordando um pouco no ensino médio e, depois que começou a namorar, alguns quilos extras realmente se instalaram sob a roupa.

Mas o ano crucial foi 2011. Com o horário de trabalho desregulado e o pouco tempo para cuidar da própria alimentação, o designer viu o ponteiro da balança acusar 35 quilos a mais. Mas não se dava conta de que a sirene de alerta estava tocando. Só em 2012, após o episódio da pressão alta, é que conseguiu reverter o cálculo para o negativo: em um ano, conseguiu eliminar 57 de seu peso, apenas com dieta e exercícios físicos.

Dois de janeiro de 2012 foi o dia em que Rodrigo teve o “despertar para a luz”, como se refere à decisão de emagrecer. “Comecei a comer menos e melhor e me matriculei em uma academia. Estava obstinado em perder peso”, conta. Assim que começou com os novos hábitos, chegou a perder até cinco quilos em apenas uma semana. Regulou seus horários no trabalho e acordava todos os dias às 6h da manhã, descansado, para se dedicar aos exercícios físicos.

Sem acompanhamento de nutricionista e apenas lendo sobre alimentação saudável, Rodrigo começou a comer a cada três horas e cortou todas as ‘bobagens’ da vida. “Se eu disser quando foi a última vez que tomei cerveja, estou mentindo. Não lembro mais quando isso aconteceu”, conta. Ele também cortou os refrigerantes e tenta driblar os doces, dos quais gosta muito. 

Acompanhamento

A falta de um nutricionista não impediu que o publicitário perdesse todo esse peso, mas o acompanhamento de uma profissional  poderia tê-lo ajudado a emagrecer sem perder massa magra. "Neste ano,  fui em uma nutricionista e ela mudou minha dieta, tanto que agora estou com a taxa de gordura corporal boa”

Em maio deste ano Rodrigo também participou da sua primeira maratona. “E a coleção de medalhas só vai aumentar, pois já estou inscrito em várias outras corridas”, conta orgulhoso.

É possível dizer que Rodrigo carregava, de fato, um fardo que poderia bem ser uma pessoa de 1,65 de altura. Sim, os 57 quilos perdidos representam o peso de uma pessoa dessa altura com índice de massa corpórea normal.

“Eu não me achava aquele obeso mórbido que precisava de uma cirurgia bariátrica, então decidi mudar a alimentação. Era muito ruim ter virado ponto de referência, as pessoas diziam ‘ali do lado do gordinho’. Não queria mais aquilo. Olho fotos antigas e vejo que estou bem melhor hoje”, conta ele, literalmente mais leve.

Leia mais notícias de alimentação e bem estar

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.