Tamanho do texto

Tubérculo andino ajuda no controle da glicemia, impedindo o depósito de gorduras; além disso, contem nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo

A maca peruana tem poder de controlar a glicemia do sangue, evitando o armazenamento de gordura
Thinkstock/Getty Images
A maca peruana tem poder de controlar a glicemia do sangue, evitando o armazenamento de gordura


Uma raiz que cresce no alto dos Andes, no Peru, está se popularizando no Brasil em forma de farinha ou cápsulas. De gosto suave, o tubérculo in natura é parecido com um rabanete e contém nutrientes que podem trazer vários benefícios à saúde. 

Por ser um alimento que contém fibras, explica a nutricionista Laís Coelho, da Natue, a maca peruana ajuda na dieta porque diminui a absorção de gorduras, prolongando a sensação de saciedade. Além disso, ela controla o quanto de açúcar há no sangue.

“Quando ingerimos um alimento com alto índice glicêmico, os níveis de açúcar se elevam muito rápido, e pode sobrecarregar o pâncreas, podendo causar a resistência à insulina e levar até mesmo ao diabetes, além de estimular o organismo a armazenar gordura – logo, a pessoa ganha peso”, explica. "A maca evita com que isso aconteça"

Mas é preciso consumir com cautela, adverte Laís. “Pode-se consumir duas colheres de sopa (10g) por dia. É só adicionar aos sucos, vitaminas, iogurtes ou outras receitas. Se for usar em cápsulas, pode-se consumir duas cápsulas por dia”, explica.

O uso é desaconselhado, no entanto, para crianças, idosos, gestantes ou mulheres que ainda estejam amamentando.

Outros benefícios

Além do uso na dieta, a maca tem um tanto de outros benefícios, como auxiliar na calcificação e no desenvolvimento dos ossos, além de estimular as células vermelhas do sangue e aumentar a energia e disposição.

“Ela também contém substâncias que auxiliam na redução dos sintomas da menopausa e possui ação antioxidante, combatendo os radicais livres e, consequentemente, prevenindo o envelhecimento precoce e as doenças cardiovasculares”, explica a nutricionista.

Alguns estudos revelam, ainda, que a maca tem um papel importante na função sexual. “Ela contém vitamina C, que é muito importante para a síntese dos hormônios sexuais femininos envolvidos na fertilidade, sexualidade e libido, e vitamina E, que aumenta o fluxo de sangue e a oxigenação dos órgãos sexuais. Isso tudo além do zinco, mineral que atua na produção da testosterona, hormônio essencial para a libido”, conclui Laís. 

Leia mais notícias de alimentação e bem estar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.