Tamanho do texto

Alimento auxilia em inflamações e úlceras, promove a sensação de saciedade e colabora com a longevidade - por conter vitamina A que é antioxidante

Você já ouviu falar da manteiga ghee? Bom, a manteiga ghee nada mais é do que o óleo purificado da manteiga, onde há remoção de qualquer toxina da gordura, bem como da lactose.

A preparação vai resultar em um óleo dourado, límpido e transparente. Um produto que pode ser utilizado para elaborar qualquer prato do dia-a-dia, principalmente para preparação de legumes e verduras, uma vez que possui grande resistência ao calor.

O processo de preparação é bem simples: basta colocar a manteiga sem sal para derreter em uma panela de fundo grosso, de forma lenta, em fogo baixo. A superfície ficará com uma camada espessa de espuma (gordura saturada) que deverá ser retirada quantas vezes forem necessárias até que toda a água evapore e reste apenas o óleo.

Livre de gordura, manteiga ghee pode ser utilizada no preparo de pratos do dia-a-dia
Getty Images
Livre de gordura, manteiga ghee pode ser utilizada no preparo de pratos do dia-a-dia

Este óleo deve ser coado em um tecido fino (voil, algodão, ou mesmo o coador de pano que é usado para preparação do café são exemplos de tecidos úteis para esse fim). Depois de coado, o óleo deve ser guardado em um recipiente fechado, em um local fresco, para melhor conservação.

Se for preparada de forma adequada, a manteiga ghee não possuirá sal e lactose. Também não produzirá fumaça em altas temperaturas, devido a isenção de toxinas que provocam a reação. O alimento também dispensa refrigeração, não contém corante ou conservante, auxilia em inflamações e úlceras, promove a sensação de saciedade e a longevidade - por conter vitamina A que é antioxidante. 

Algumas sugestões de uso são na preparação de arroz, legumes, verduras, sopas, saladas e para refogar temperos.

No entanto, é importante lembrar que, mesmo sendo mais saudável, a manteiga ghee ainda é uma gordura. Logo, preconiza-se seu uso moderado. Além disso, por ser mais saborosa que os outros óleos, uma pequena quantidade já é suficiente para ser utilizada em receitas culinárias.

* Lorena Araújo de Freitas é nutricionista formada pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), residente multiprofissional em Nutrição Clínica e mestranda pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.