Tamanho do texto

Praticidade é a palavra da ordem atualmente, mas descuidar-se e comprar qualquer tipo de alimento congelado pode causar danos à saúde; veja o que é boa opção

A falta de tempo do dia a dia e o cansaço impelem muitos brasileiros a comprar comidas congeladas para o jantar, por exemplo. Não ter o trabalho de passar por todas as etapas de uma preparação culinária atrai, mas é preciso estar atento à composição dos alimentos que se deseja comprar. A grande maioria esconde um teor alto de sódio e outros conservantes, que causam prejuízos à saúde. Qual seria a melhor opção, portanto?

Prestar atenção na quantidade de sódio e gordura contida nos alimentos congelados é vital para garantir que a refeição será saudável
Getty Images
Prestar atenção na quantidade de sódio e gordura contida nos alimentos congelados é vital para garantir que a refeição será saudável

As melhores opções são os alimentos não considerados ultraprocessados (os pratos prontos). Na boa lista entram as frutas, legumes e verduras, além das carnes e peixes.

“A polpa de fruta é bacana, pois é fácil de preparar, basta bater. A única atenção é a quantidade de água que tem na polpa, já que não tem uma legislação que regule isso”, explica Viabone. “É uma boa opção para aquelas frutas que não tem o ano inteiro”.

Além disso, ter legumes e verduras congelados em casa é prático para fazer risotos ou outros preparos, explica Viabone. Roseli conta que há uma pequena perda de nutrientes no processo do congelamento, quando o alimento é fervido e depois colocado em água fria, uma etapa chamada de branqueamento. Essa perda, no entanto, é insignificante e ainda vale a pena comprar esses alimentos congelados, pela praticidade.

O descongelamento desses alimentos, no entanto, não deve ser feito em temperatura ambiente, mas sim no refrigerador. “Pode colocar na prateleira de baixo, mas nunca fora da geladeira e nem em água corrente, pois isso pode contaminar o alimento”, recomenda Roseli. Além disso, é necessário obedecer o prazo de validade da embalagem.

É necessário comprar congelado?

Segundo o nutricionista Flávio Viabone, da Nova Nutrii, muitas pessoas compram alimentos que poderiam ser facilmente feitos em casa. “É preciso pensar na necessidade. Será que preciso mesmo de alguma coisa congelada, como um sanduíche?”

Além disso, há pessoas que optam por comprar arroz já pronto. “Não seria necessário, pois é muito rápido para fazer. O mesmo vale para o macarrão com molho, em 10 minutos dá para fazer”, diz ele, criticando o apelo comercial que tenta persuadir o consumidor de que ele precisa dessas comidas “práticas”, porque não tem tempo de preparar. “Como não tem tempo de fazer arroz?”, brinca.

Outro ponto a se pensar, segundo Viabone, é o valor agregado ao produto. “Um hambúrguer pronto, pão de queijo, pizza, lasanha, escondidinho, torta de frango não saem muito mais caros do que se eu fizesse em casa? Talvez não valha a pena”, diz. “Fazer hambúrguer em casa é rápido, saboroso e saudável e ainda dá para economizar”, conta.

Maioria dos congelados não é saudável

A nutricionista e professora do curso de nutrição do Senac, Roseli Espíndola Balchiunas explica que os hambúrgueres congelados, nuggets e vários empanados contém uma quantidade alta de sódio, que tem relação com doenças cardiovasculares.

Erra quem pensa que o sódio, também presente no sal, confere um sabor salgado ao alimento e que se as comidas congeladas contivessem muito sódio, o alimento estaria muito salgado. “O sódio é utilizado como um aditivo alimentar, já que ele é conservante. O alimento fica parecendo que tem um tempero diferente”, conta.

Para quem quer congelar em casa

Tirar um dia na semana para preparar alimentos e congelá-los pode ser uma boa opção. “Às vezes a pessoa vai à feira e vê um mamão bem mais barato, só que já está um pouco machucado e deveria ser consumido no mesmo dia. Se der para aproveitar 90% dele, é só fracionar e congelar, já vira uma vitamina para alguns dias”, diz Viabone.

O mesmo vale para outros ingredientes, como temperos que estragam rápido fora do congelamento. “Salsinha, cebolinha, salsão, alho poró, por exemplo, são opções rápidas para temperar. Altera um pouco o sabor, mas ainda assim é bom”, diz.

Guardar os legumes a serem congelados em porções individuais é uma boa ideia para descongelar em partes. “Fracionar, colocar em potes fechados e identificar quando foi feito”, diz Viabone.

Leia mais notícias de alimentação e bem-estar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.