Tamanho do texto

Óleo de cártamo é excelente para aqueles que buscam redução da gordura corporal e o aumento da massa magra. Já o óleo de linhaça pode ser aliado na menopausa. Veja mais detalhes

Final de ano, o verão e as férias estão chegando e é sempre bom dar uma ajudinha para a dieta. Segundo a nutricionista Patrícia Lopes, essa forcinha extra para conquistar a boa forma por vir da cozinha ou em cápsulas. 

Qual óleo é melhor para o quê?
Getty Images
Qual óleo é melhor para o quê?

"Para aqueles que querem exibir um abdômen definido, os óleos funcionais são excelentes ajudantes do emagrecimento", afirma nutricionista especializada em suplementos alimentares e responsável pelo departamento técnico de desenvolvimento de novos produtos da Global Suplementos. 

Leia também:  Azeite, milho ou canola? Pesquisa identifica óleos mais saudáveis para cozinhar

Entretanto, vale a velha e conhecida forma de alimentação balanceada e atividade física para o emagrecimento saudável. "A ingestão de óleos naturais é o empurrão extra para adotar hábitos mais saudáveis. Para quem deseja eliminar alguns quilinhos até o final do ano, o ideal é combinar o consumo de óleos funcionais a uma dieta balanceada e exercícios físicos", reforça Patrícia. 

E mais: Fritura em azeite ou óleo de girassol não eleva risco cardíaco, diz estudo

A nutricionista lista sete óleos que ajudam a saúde e ainda impulsionam a perda de peso. Já a farmacêutica da Global Suplementos Priscila Miagui indica a quantidade diária de cada um deles: "São quatro cápsulas de 1 grama ou duas colheres de chá, levando em conta a porção individual. Se optar pela cápsula, é indicado tomar 30 minutos antes da refeição". Segundo a farmacêutica, isso vai ajudar a dar sensação de saciedade. Priscila também lembra que, respeitando a quantidade indicada, é possível misturar dois óleos nas refeições e dá dicas de consumo. 

Óleo de Coco

Óleo de coco
Thinkstock/Getty Images
Óleo de coco


É um antioxidante natural. Ele retarda o envelhecimento, previne doenças como o câncer, reduz as taxas de colesterol sanguíneo e também promove saciedade ao corpo. Atua com agilidade na absorção e no transporte da gordura para o fígado, onde esta se transforma em energia, acelerando o metabolismo.

Cerca de 50% da gordura do coco é composta por ácido láurico (ácido graxo), de ação antibacteriana, antifúngica, antiviral e antiprotozoária, que atuam diretamente no fortalecimento do sistema imunológico.

Dica de consumo : uma característica do óleo de coco é cristalizar em temperaturas mais baixas. Se isso acontecer, aqueca o óleo em banho maria e espere voltar à temperatura ambiete para usar, por exemplo, como tempero de saladas. 

Óleo de Baru

Castanha de baru
Divulgação UNB / Camila Martins
Castanha de baru


Novidade no mercado, esse óleo é extraído da semente da castanha de baru. Possui propriedades nutricionais por ser rico em ácidos graxos - ômega 3, ômega 6 e ômega 9 -  proteínas, fibras, além de ser fonte de minerais, como cálcio, ferro e zinco.

O baru aumenta a atividade das enzimas antioxidantes e desempenha papel importante na redução do estresse, um dos principais agentes causadores do ganho de peso. Com propriedade sacietógena tão grande quanto a chia, o produto desempenha ação cardioprotetora, uma vez que promove a redução do colesterol LDL e o aumento nos níveis do colesterol HDL, o chamado bom colesterol.

O produto foi testado em estudo cientifico e comprovou a perda 1,5kg de gordura em dois meses.

Dica de consumo: é mais fácil encontrar em cápsulas, na versão de 1 grama (consumir quatro por dia) ou 500 mg (consumir oito cápsulas por dia). Se o objetivo da dieta for redução de peso, não se esqueça de tomar as cápsulas antes das refeições. 

Óleo de Linhaça

Linhaça
Getty Images
Linhaça


Rico em ácidos graxos que estimulam a saciedade, o óleo da semente de linhaça auxilia na redução do colesterol ruim, o LDL e protege o organismo de doenças cardiovasculares e doenças cancerígenas na mama e na próstata. Outro benefício do consumo desse óleo é a prevenção dos sintomas da menopausa.

Dica de consumo: pode se encontrado em formato de óleo ou de cápsulas e também combina com saladas.

Óleo de Amêndoas

Amêndoas
Getty Images
Amêndoas


Fonte de ácido oleico, ácido linoléico, ácido palmítico, ferro, cálcio e fósforo, o óleo de amêndoas é muito utilizado no preparo de licores e produtos de confeitaria e receitas culinárias, bem como em saladas e refogados. Seu uso cosmético amacia e tonifica a pele, alivia coceira e possui propriedades rejuvenescedoras, regeneradoras, hidratantes e nutritivas.

Dica de consumo: esse óleo tem um sabor mais adocicado e geralmente vai bem com frutas e algum cereal, como granola. É mais facilmente encontrado como óleo do que em cápsula. 

Óleo de Abóbora

Abóbora
Getty Images
Abóbora


Extraído da semente de abóbora, ele possui propriedades antioxidantes por ser abundante em vitamina E, alfa-tocoferol e gama-tocoferol. É também fonte de Vitamina A e complexo B, minerais como cálcio, ferro, potássio, fósforo e selênio. Além de ser um poderoso antioxidante, ele ajuda a prevenir o câncer de próstata, inibir a inflamação ou o crescimento do tecido prostático. Também é utilizado pela medicina popular como diurético e vermífugo.

Dica de consumo: geralmente encontrado em cápsulas. Lembre-se se consumir até 4 gramas por dia, seguindo a mesma regra dos outros óleos.

Óleo de Cártamo

Cártamo
Divulgação
Cártamo


Excelente para aqueles que buscam redução da gordura corporal e o aumento da massa magra. O óleo extraído da semente de cártamo atua na gordura localizada do abdomem. Possui de 60 a 80% de ácido linoleico e de 20 a 40% de ácido oleico, duas substâncias importantes para ajudar na perda de peso. Mas, como todo óleo, seu uso deve ser moderado: tome no máximo de duas a três cápsulas por dia (ou uma colher de sopa), meia hora antes ou depois das principais refeições. Além disso, para turbinar os efeitos, o melhor é combinar com exercícios físicos.

Dica de consumo: geralmente esse óleo é encontrado em cápsula e é combinado com outros elementos, como a cafeína. Preste atenção a essas combinações para, por exemplo, não tomar a cápsula com cafeína à noite e colocar a boa noite de sono em risco. Também fique atento à quantidade diária. 

Óleo de Gergelim

Semente de gergelim
Getty Images
Semente de gergelim


Alivia os sintomas da TPM por conter elevadas quantidades de vitamina E. Antioxidante natural protege as células contra os radicais livres e o envelhecimento precoce. Fonte de ácidos graxos insaturados, ômega 9 e 6, é indicado para quem deseja suplementar a alimentação com nutrientes fundamentais para o funcionamento do corpo.

Dica de consumo: pode ser encontrado em cápsula ou em formato de óleo. Use para temperar legumes e saladas e prove novos sabores. 

Os óleos ou as cápsulas, de acordo com as especialistas, são encontrados em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e e-commerce. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.