Tamanho do texto

São Lourenço, no interior de Minas Gerais, é o paraíso de fontes termais usadas como prevenção de diversos males

Uma pequena cidade cheia de montanhas ao redor abriga em seu solo uma das maiores reservas diversificadas de águas minerais dentro de um espaço pequeno. Águas sulfurosas, ferruginosas, magnesianas e de outros tipos podem ser apreciadas nas fontes do Parque das Águas de São Lourenço, no interior de Minas Gerais. Cada fonte é indicada para um tipo de problema de saúde, e muitos viajantes passam semanas na cidade tomando do líquido que vem do interior da terra como um tratamento.

Parque abriga nove fontes com sete tipos diferentes de água
Eli Paes
Parque abriga nove fontes com sete tipos diferentes de água

Há nove fontes com sete tipos diferentes de água dentro do local. A coordenadora do Parque das Águas de São Lourenço, Vera Maria Vaz de Mello, explica quais são as propriedades de cada água e para que são indicadas:

- Fonte Vichy (água mineral alcalina): essa água é benéfica para tratar pessoas com problemas renais, gástricos e da vesícula biliar. Segundo Vera, só na França, em Vichy, é possível encontrar outra água com as propriedades iguais a essa de Minas Gerais.

Água termal de Vichy é famosa para melhorar a pele; água de São Lourenço carrega as mesmas propriedades minerais
Eli Paes
Água termal de Vichy é famosa para melhorar a pele; água de São Lourenço carrega as mesmas propriedades minerais

- Fonte Oriente (água mineral gasosa natural):  é de sabor suave e indicada para quem tem problemas nos rins, dificuldade na digestão e até em alguns casos de intoxicação. Essa água é engarrafada desde 1890.

- Fonte Primavera e Fonte Ferruginosa (água mineral ferruginosa): por conter ferro, tem um sabor mais acentuado. Segundo Vera, é indicada para anemia e astenia, que é um tipo de fadiga. Além disso, pode ajudar em pessoas que perderam a vontade de comer. Beber demais, no entanto, pode causar cólicas intestinais. Depois de retirada da fonte, é recomendado que se beba em até no máximo 24 horas.

- Fonte José Carlos de Andrade (água mineral carbogasosa):  "O princípio ativo dela é o lítio, e quem é ótimo para quem tem pressão alta e depressão", explica a coordenadora do parque. O estresse também é combatido por meio do consumo dessa água.

Magnesiana, ferruginosa, com lítio... há águas para todos os gostos
Eli Paes
Magnesiana, ferruginosa, com lítio... há águas para todos os gostos

"Com nenhuma água você corre o risco de ter uma intoxicação. Não se deve misturar todas as águas, mas pegar uma água para resolver o que te incomoda mais. Essa água é muito procurada, temos um trabalho junto com o SUS e Secretaria da Saúde e cerca de 300 pessoas vêm aqui, tomam dessa água e levam para casa."

- Fonte Jaime Sotto Mayor e Fonte Sulfurosa II (água mineral sulfurosa):  pode ajudar diabéticos, pessoas com distúrbios no intestino grosso (colites crônicas e pós-infecciosas). Ajuda também a melhorar problemas de pele, como psoríase e espinhas.

Vera conta que bebe dois litros de água de fonte alcalina diariamente
Eli Paes
Vera conta que bebe dois litros de água de fonte alcalina diariamente

"Há pessoas que vêm fazer tratamento para psoríase com essa água. Além disso, faz muito bem para os ossos", explica a coordenadora. "Essa é a única água também usada para banho."

- Fonte Alcalina (água mineral alcalina):  preferida de Vera, que bebe até dois litros dessa água por dia, é indicada para úlceras gastroduodenais, e também para a hipercloridria (muito ácido no estômago).

Ajuda na eliminação do ácido úrico e também de cálculos renais.

- Fonte Andrade Figueira (água mineral magnesiana):  rica em magnésio, é indicada para tratar problemas de fígado, de vesícula biliar e algumas alterações no intestino grosso. É contraindicada para casos de úlcera péptica. 

* A jornalista viajou a convite da equipe São Lourenço. 

Leia mais sobre bem-estar


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.