Tamanho do texto

Peru é tradição, mas vale a pena tomar alguns cuidados para evitar contaminações e intoxicações alimentares

Comer peru no Natal é uma tradição para muitos, mas é sempre bom lembrar que é preciso ter alguns cuidados para evitar a contaminação dele por bactérias, bem como da pia onde a ave será manipulada. 

Segundo Kevin Hargin, especialista em controle de doenças relacionadas à comida do Food Standards Agency (FSA), as pessoas compram muito mais comida do que o usual, já que vão servir para muitas pessoas.

Com isso, os refrigeradores ficam sobrecarregados, não trabalham com eficiência, e os alimentos acabam ficando fora da geladeira mais do que deveriam e isso acaba contribuindo para intoxicações alimentares logo depois do Natal. As informações são do jornal DailyMail.

Para muitos, o peru não pode faltar na mesa de Natal, mas é preciso tomar alguns cuidados no preparo
Reproduçao/DailyMail
Para muitos, o peru não pode faltar na mesa de Natal, mas é preciso tomar alguns cuidados no preparo

De acordo com a especialista em saúde pública e higiene, Lisa Ackerley, o problema está em preparar o peru sem cozinhá-lo adequadamente, isto é, sem que o assado ou cozido atinja uma temperatura ideal que extermine as bactérias maléficas. Quando isso não acontece, as bactérias como a salmonella e campylobacter podem sobreviver.

Além disso, os maiores casos de contaminação está na manipulação da carne crua, diz a especialista. Quatro a cada cinco casos de intoxicação alimentar por causa de campylobacter são causadas por manipulação de aves, como peru e frango. Essa bactéria vive no intestino das aves e pode se espalhar quando os animais são abatidos. 

Quem é contaminado passa de dois a cinco dias vomitando e com diarreia. 

Além disso, o peru e outras aves podem transmitir salmonella e clostridium perfringens. Essa última bactéria "ataca" mais as sobras do Natal.

Aprenda a diminuir o risco de intoxicação alimentar e aproveite as festas

- Para evitar uma intoxicação, a primeira recomendação é não deixar o peru descongelando por muito tempo. O ideal é que isso termine já na panela.

"Leva 12 horas, por quilo, para o peru descongelar, em uma geladeira a 4ºC", disse Kevin, ao DailyMail. "Um peru de três quilos deverá ser descongelado por um dia e meio". 

Papel toalha contaminado pelas mãos sem higienização
Reproduçao/DailyMail
Papel toalha contaminado pelas mãos sem higienização

"Fora da geladeira, mas em um lugar frio (não mais do que 15 ou 16ºC, é preciso de quatro horas por quilo". 

"Se ele está parcialmente descongelado e vai para o forno, ele não vai assar adequadamente e os microorganismos não vão morrer", explicou ele. 

Além disso, um grande risco de contaminação cruzada vem de outro tipo de manipulação: aquele da pia ou outras superfícies da cozinha e das mãos. Os especialistas cobriram o peru com um gel especial que sinaliza qual bactéria está mais saliente em sua superfície. "Essas bactérias brilham sob a luz ultravioleta". 

Lave as mãos

Depois de manipular o peru, as fotos mostram que as mãos ficam azuis e branco, mostrando quais bactérias teriam sido transferidas da ave para a mão. 

Lavar muito bem as mãos e a região das unhas é importante para não contaminar outros objetos depois da manipulação do peru
Reprodução/Daily Mail
Lavar muito bem as mãos e a região das unhas é importante para não contaminar outros objetos depois da manipulação do peru

E não adianta lavar as mãos rapidamente, é preciso lavar vigorosamente para que as bactérias se desprendam a região ao redor das unhas. 

Lave bem a pia e outras superfícies que tiveram contato com o peru

Uma pesquisa da Universidade de Manchester, no Reino Unido, mostra que até metade das pessoas lavam o peru antes de cozinhar. "Isso é um pesadelo, disse Lisa, ao DailyMail. 

Além de essa lavagem ser desnecessária, já que um bom processo de cozimento já vai matar os microorganismos, lavar o peru vai fazer com que essas bactérias presentes na carne crua se espalhem pela cozinha, já que bactérias pegam carona junto com a água. Veja fotos:

Luz ultravioleta ressaltou a quantidade de bactérias que permaneceram na pia depois da manipulação do peru
Reproduçao/DailyMail
Luz ultravioleta ressaltou a quantidade de bactérias que permaneceram na pia depois da manipulação do peru

A partir de então, a contaminação só aumenta: com as mãos "sujas" e a pia também, a pessoa coloca a mão no sal - e o contamina, vai secar as mãos em papel toalha - e contamina a folha não usada, etc. 

Tomar alguns cuidados para evitar essa contaminação contribui para que você e seus convidados não passem o dia seguinte ao Natal em um hospital. 

Leia mais sobre saúde, alimentação e bem-estar


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.