Tamanho do texto

Alimento é rico em vitaminas e não compromete a dieta

Dá para incluir até sete porções semanais da batata na dieta
Getty Images
Dá para incluir até sete porções semanais da batata na dieta
Sempre relacionada à grande quantidade de carboidratos, a batata é tida como uma das grandes vilãs da dieta. Quem tenta emagrecer, costuma riscar o alimento do cardápio. Mas uma pesquisa norte-americana realizada pela Universidade da Califórnia, em conjunto com o Centro Nacional de Segurança da Comida e Tecnologia, promete mudar essa visão.

Segundo os pesquisadores, é possível incluir de cinco a sete porções de batata na dieta por semana e ainda assim perder peso. O estudo analisou 86 pessoas obesas, divididas em três grupos, que seguiram dietas diferentes, mas todas incluíam esse alimento. Todos os participantes perderam peso e não houve diferença significativa de emagrecimento entre os grupos. “Não há evidências de que as batatas, quando preparadas de uma maneira saudável, contribuam para o ganho de peso”, afirmou o pesquisador chefe, Britt Burton-Freeman.

A nutricionista Fernanda Granja ressalva: “o corpo precisa de carboidrato para raciocinar, caminhar e realizar todas as atividades diárias. Não se pode riscá-lo da dieta”, afirma.

Uma porção média (em torno de 150g) tem 110 calorias e quase a metade da necessidade diária de vitamina C (45%). Além disso, tem mais potássio do que uma banana, não contém gordura, sódio ou colesterol. “Ela fornece 21% do valor diário de potássio”, afirma David Grotto, em seu livro “101 alimentos que podem salvar a sua vida” (Editora Larousse).

“E também é rica em amido, vitamina B6 e zinco, que não é facilmente encontrado. A batata é um ótimo alimento, na verdade, ela é mal utilizada”, afirma José Alves Lara Neto, médico nutrólogo e vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrólogos. Para o especialista, esse alimento precisa ser mais bem explorado e utilizado de modo a usufruir de todos seus nutrientes.

“O ideal é consumi-lo com a casca. Basta lavá-lo com uma bucha ou deixá-lo de molho com bicarbonato. A casca concentra grande parte dos nutrientes como ferro, magnésio”, afirma.

No Brasil, o tipo mais consumido é a chamada batata inglesa. No entanto, Fernanda Granja indica o consumo do tipo yacon.

“Ela lembra uma pera e pode ser consumida crua, é rica em fibras e ajuda na absorção da glicose”, diz.

Método de cozimento

Cozidas ou assadas, uma porção média de batatas pode ter até 150 calorias. Fritas, ela passa para assustadoras 500 calorias e agregam 30 gramas de gordura, 10g acima da recomendação diária.

O FDA (Food and Drug Administration), órgão norte-americano que regulamenta o setor de alimentação e medicamentos, afirma que a batata pode reduzir o risco de pressão alta e derrame.

Sal em excesso

Outro complicador na batata é o sal que a acompanha. O condimento deve ser usado com moderação porque eleva a pressão arterial . Para reduzi-lo, use outros temperos como o alecrim e a sálvia, um pouco de azeite e pronto.

Dicas:
- Escolha aquelas que estiverem firmes e lisas
- Devem ser guardadas em local fresco e escuro, assim podem durar por várias semanas
- Não guarde a batata na geladeira, ela escurecerá durante o cozimento e o amido se transformará quimicamente em açúcar
- Não guarde junto com as cebolas, assim elas apodrecem mais rápido
- Evite levar aquelas que têm brotinhos ou manchas escuras. “Esses brotos têm substâncias tóxicas que podem provocar diarreias ou câimbras”, afirma Lara Neto.