Tamanho do texto

Explicação estaria na combinação entre restrição calórica e redução da temperatura do corpo

Restrição calórica: comer menos pode ser o segredo para viver mais
Getty Images
Restrição calórica: comer menos pode ser o segredo para viver mais
Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington constataram que a redução significante de calorias diminui a temperatura corporal interna (na qual todas as funções do corpo podem operar com máxima eficiência), o que já foi demonstrado como fator que prolonga a longevidade.

Alimentação: Você é o que você come

O estudo, publicado recentemente no periódico científico Aging, comparou a temperatura corporal interna de dois grupos de pessoas na faixa dos 55 anos: o primeiro seguia a dieta da restrição calórica há pelo menos seis anos, enquanto que o segundo seguia uma alimentação ocidental padrão – com alto teor de calorias e gordura. A temperatura corporal interna de 24 corredores de provas de resistência da mesma faixa etária também foi medida para determinar se o simples fato de ser magro era o suficiente para diminuir a temperatura corporal sem restrições calóricas.

“Os participantes que seguiam a dieta da restrição calórica apresentaram temperatura corporal interna em torno de 0,2 graus Celsius inferior – redução que aparentemente modesta é estatisticamente significante, além de também ser semelhante à redução já observada em camundongos com restrição calórica e vida longa.

O mais interessante é que os atletas de resistência, da mesma faixa etária e igualmente magros, não apresentaram reduções semelhantes de temperatura corporal”, disse o Dr. Luigi Fontana, que liderou o estudo.

Mesmo que a restrição calórica possa dobrar ou mesmo triplicar a longevidade de organismos simples, os pesquisadores admitem desconhecer o percentual de restrição calórica ideal para estender a longevidade dos seres humanos. Os autores do estudo ressaltam que os seguidores da dieta de alta restrição calórica esperam viver mais de 100 anos.

Faça o teste: Sua salada é mesmo light?

Os pesquisadores também ressaltam que simplesmente diminuir a temperatura corporal não é o suficiente para aumentar a longevidade. Fontana observa que a forma como a redução da temperatura é alcançada também é importante.

“Eu não acredito que algum dia será possível beber, fumar e estar acima do peso e então tomar uma pílula, ou várias, para diminuir a temperatura corporal e estender a longevidade”.

Ele complementou: “Entretanto, talvez seja possível seguir uma dieta de restrição calórica branda, alimentando-se bem, fazer poucos exercícios e então tomar determinado medicamento que possa oferecer os mesmos benefícios encontrados na dieta de alta restrição calórica”.

Siga lendo sobre alimentação e dieta:
Perca peso comendo mais
Os segredos da dieta mediterrânea
Quer ter saúde? Seja criativo na cozinha

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.