Tamanho do texto

Consumir brócolis, couve-flor e repolho previne tumor que cresceu 5 vezes na população feminina

Vegetais do grupo do repolho ajudam a prevenir câncer na tireóide
Dulla
Vegetais do grupo do repolho ajudam a prevenir câncer na tireóide
Por motivos ainda não esclarecidos pela ciência, o câncer de tireóide na população feminina aumentou cinco vezes nos últimos 20 anos. Segundo os especialistas, antes eram 5 casos por 100 mil habitantes e hoje a taxa de incidência está em 25 por 100 mil.

Leia também : Brasil vai registrar 59 casos de câncer por hora em 2012

Em meio às dificuldades em traçar estratégias preventivas para este tipo de tumor – já que as causas não são bem definidas – um dos maiores especialistas em câncer na região da cabeça e pescoço, o oncologista do Hospital AC. Camargo Luiz Paulo Kowaski, diz com segurança que os vegetais são aliados neste combate.

“As pesquisas epidemiológicas, que investigam de forma minuciosa os hábitos nutricionais dos pacientes com câncer, já mostraram que consumir, ao menos duas vezes por semana, vegetais do grupo do brócolis, couve-flor e repolho agrega um fator de proteção à tireóide”, diz. “Provavelmente, os nutrientes destes alimentos beneficiam os consumidores, já que já temos evidências também de que não consumi-los favorece o aparecimento da doença”, completa.

Veja ainda : Dieta saudável inclui vários alimentos contra o câncer

Explosão

Este ano, pela primeira vez, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) traçou as projeções de novos casos de câncer de tireóide. As estimativas mostram que, em 2012, 10.590 mulheres vão receber o diagnóstico da doença. Os dados foram computados apenas para a população feminina porque são elas que mais adoecem. Os homens quase não aparecem nestas estatísticas.

Saiba mais : Em 2012, seis mil homens terão o mesmo câncer do Lula

De acordo com os oncologistas, a maior prevalência de mulheres entre os casos é porque a tireóide é mais prejudicada pela ação dos hormônios ligados ao período menstrual, gravidez e menopausa. “No perfil de acometidas a maior parte não é obesa e também não atestamos muita interferência dos fatores de risco. A nossa avaliação é que esta explosão de casos registrada nos últimos anos é reflexo da melhora no diagnóstico, já que hoje mais pessoas fazem o exame de ultrassom, o mais indicado para atestar câncer na tireóide”, explica Kowaski.

Tudo sobre a tireóide : Cansaço pode ser doença na tireoide
Desregulagem hormonal e fatores que afetam a libido
Menstruação atrasada nem sempre é gravidez

Evolução

O câncer na tireóide não é dos mais letais e, a avaliação dos especialistas, é que no passado as mulheres já tinham a doença, conviviam com ela e nunca descobriam o tumor. Mas, de cinco anos para cá, os ginecologistas foram capacitados e passaram a fazer um acompanhamento mais próximo da glândula da tireóide, o que fez os números saírem da invisibilidade.

Apesar de não ser tão agressivo, o tumor neste órgão endócrino não pode ser negligenciado. Além de testes periódicos, a alimentação precisa fazer parte das estratégias preventivas. Uma dieta rica em fibras, e complementada pelos vegetais protetores da tireóide, é a chave para blindar o corpo contra vários tipos de neoplasia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já alertou que um terço dos casos de câncer mundiais são associados a uma dieta inadequada. Um estudo do Inca também chama a atenção para a influência do excesso de peso. Ainda no recorte feminino, 28% dos casos de câncer de mama seriam evitados caso as mulheres deixassem a categoria da obesidade.

Continue lendo

Exercícios
Getty Images
Exercícios

Oncofitness: exercícios contra o câncer de mama
Combinação de musculação e atividade aeróbia reduz os efeitos da quimioterapia e eleva a qualidade de vida das pacientes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.