Tamanho do texto

Pesquisa de universidade suíça foi feita a partir de questionários respondidos por 1.200 jovens entre 16 e 20 anos; para médicos brasileiros, sete horas são suficientes

Pesquisa indica que adolescentes devem fazer 14 horas semanais de exercício físico para melhorar o bem-estar
Thinkstock/Getty Images
Pesquisa indica que adolescentes devem fazer 14 horas semanais de exercício físico para melhorar o bem-estar

Uma pesquisa realizada na Suíça sugere que o ideal é que adolescentes se exercitem por 14 horas semanais, o dobro do indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Mais do que isso é prejudicial para o bem-estar dos jovens. 

Conheça a nova home do Último Segundo

“Num mundo cada vez mais sedentário, nosso estudo mostra que o problema do estilo de vida dos dias de hoje é ainda pior do que pensamos. E esta foi uma das motivações quando decidi fazer este estudo”, afirma Arnaud Merglen da divisão de Pediatria da Universidade de Toronto, no Canadá, e um dos autores do estudo publicado no periódico científico  Archives of Disease in Childhood .

Merglen afirma que sete horas semanais de atividade física já são benéficas. “Isto já seria um passo significativo para a população mundial, porém a prática de 14 horas semanais parece ser ainda melhor para a saúde mental e física dos adolescentes“, disse. O bem estar físico e mental dos adolescentes foi analisado a partir de critérios de pontuação validados pela Organização Mundial da Saúde, em uma escala de zero a 25.

O estudo foi feito a partir da análise de questionários de 1.200 jovens entre 16 e 20 anos. Na pesquisa, a participação esportiva foi categorizada como baixa (0-3.5 horas, 35% dos entrevistados); média (3.6-10,5 horas, 41.5%); elevada (10.6-17.5 horas; 18,5%) e muito alta (mais de 17.5 horas; 5%).

Mas, ao mesmo tempo em que sugere o aumento de horas semais dedicadas à atividade física, o pesquisador pondera os perigos do excesso, que pode provocar problemas como a a tendinite e lesões articulares e nos ligamentos, por exemplo. “O excesso de treino tem não só um impacto bem conhecido sobre o corpo, mas também sobre o cérebro, nas emoções, pensamentos e estado de espírito. Ele reduz o estresse e a ansiedade. O mecanismo de baixa atividade e muita atividade provavelmente não é o mesmo, mas os resultados parecem bastante semelhantes”, completou.

Nem tanto
Os médicos brasileiros preferem seguir as indicação da OMS. Para Samir Salim Daher, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), é preciso testar o equilíbrio. “O ideal é fazer dois treinos, descansar um dia para evitar lesões. Sete horas por semana já está ótimo por reduzir as chances de o adolescente ter obesidade”, disse.

Ricardo Nahas, médico do esporte do hospital Nove de Julho, em São Paulo, também defende o bom senso. “A princípio 14 horas semanais está acima do consenso. O bom senso deve prevalecer”, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.