Tamanho do texto

A massagem tem uma ação muito parecida com a dos tradicionais anti-inflamatórios e é eficaz na reabilitação de músculos que sofreram lesões

selo

A massagem tem uma ação muito parecida com a dos tradicionais anti-inflamatórios e é eficaz na reabilitação de músculos que sofreram lesões.

Leia: Benefícios da massagem vão além do relaxamento

Massagem: propriedades anti-inflamatórias
Getty Images
Massagem: propriedades anti-inflamatórias
É o que mostra um estudo divulgado ontem pela revista Science Translational Medicine. Trabalhos anteriores comprovavam os efeitos práticos da massagem, mas nenhum desvendava as complexas reações bioquímicas que explicam por que ela funciona.

"Há consenso de que massagem produz bem-estar", afirma Simon Melov, do Instituto Buck, nos Estados Unidos. "Agora, temos base científica para explicar como ela atua".

Normalmente, o esforço físico produz lesões nas fibras dos músculos, o que leva a processos inflamatórios.

Os cientistas descobriram que a massagem estimula a produção de sinais químicos que diminuem a inflamação, de um modo análogo à atuação de vários fármacos.

Ao mesmo tempo, a massagem estimula a geração de mitocôndrias, pequenas estruturas que funcionam como verdadeiras usinas de energia dentro da célula.

Desta forma, a prática também contribui para acelerar a reconstrução de tecidos musculo-esqueléticos afetados por exercícios físicos ou doenças.

Siga o iG Saúde no Twitter

Segundo o estudo, bastariam 10 minutos de massagem para produzir um efeito benéfico perceptível. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Conheça massagens exóticas como:
Lomi lomi, a massagem havaiana
Chavutti Thirumal (Kalari)
Abhyanga
Garshana
Shirobhyanga ou Champ
Massagem japonesa: Watsu
Bambuterapia (bamboo massage)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.