Tamanho do texto

Evitar determinados alimentos e descansar adequadamente ajudam nessa fase

Com o fim do horário de verão, lá vamos nós - os habitantes das regiões atingidas pela medida - atrasar os ponteiros do relógio em uma hora.

Atrasar o relógio biológico, no entanto, não é uma tarefa tão fácil assim, pois pode prejudicar o ritmo e funcionamento do corpo.

Diferença de 60 minutos já interfere no funcionamento do organismo
Getty Images
Diferença de 60 minutos já interfere no funcionamento do organismo

“O desequilíbrio do organismo se dá nos cinco primeiros dias da mudança no relógio, após esse período e com os devidos cuidados tomados, o corpo se adapta de forma tranquila”, afirma Jacob Faintuch, clínico geral do Hospital das Clínicas da FMUSP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde.

Para ele, o ideal para preparar o organismo ao novo horário é manter uma boa qualidade do sono e dormir o suficiente durante toda a semana. Portanto, aproveite essa uma hora a mais para descansar.

“Dificuldade para dormir ou acordar podem predispor a problemas cardíacos e outras doenças. O infarto, por exemplo, costuma ocorrer algumas horas depois de acordar e, principalmente, na segunda-feira, dia em que o estresse comumente aumenta”, alerta o médico.

Além de repouso adequado, é interessante apostar em uma alimentação equilibrada e evitar alimentos pesados e bebidas estimulantes como café, chá preto e pó de guaraná, principalmente no final da tarde.

Também não é recomendado comer muito antes de dormir nem ir para a cama com o estômago vazio.

Quando a hora de dormir estiver se aproximando, evite atividades que exijam concentração ou esforço físico, tente apostar em práticas relaxantes como meditação, ioga, massagens ou técnicas de respiração.

Leia mais sobre saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.