Tamanho do texto

Estudo aponta que idosos que têm a dentição comprometida correm mais riscos de males como o de Ahzheimer

Cuidar dos dentes pode afastar riscos de doenças mentais na terceira idade
Thinkstock Photos
Cuidar dos dentes pode afastar riscos de doenças mentais na terceira idade
Idosos que perdem seus dentes podem ter risco aumentado de demência, dizem pesquisadores. Um novo estudo incluiu mais de 4.000 participantes japoneses, de 65 anos ou mais, que foram submetidos a um exame dentário e uma avaliação psiquiátrica.

Comparados com indivíduos que ainda tinham muitos dentes naturais, aqueles com poucos ou nenhum dentes eram muito mais propensos a apresentar problemas de perda de memória ou estágios iniciais da doença de Alzheimer.

As descobertas foram publicadas na versão on-line do periódico Behavioral and Brain Functions, especializado em artigos de neurobiologia e comportamento.

Os participantes com sintomas de perda de memória relataram que haviam visitado o dentista raramente, quando o fizeram. Dra. Nozomi Okamoto, principal investigadora do estudo, disse que essa pode ser uma explicação para os resultados do trabalho, mas sugeriu que podem existir outros elos entre a perda de dentes e os problemas de memória.

"Infecções na gengiva, que podem levar à perda dos dentes, podem liberar substâncias inflamatórias, que por sua vez irão aumentar a inflamação no cérebro que causa a morte neuronal e acelera a perda de memória", disse a especialista. "A perda de receptores sensoriais em torno dos dentes está relacionada com a morte de alguns neurônios."

Tudo se tornaria um ciclo vicioso, explicou Okamoto. A perda dessas conexões cerebrais poderia causar mais dentes a cair, contribuindo para o declínio cognitivo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.