Tamanho do texto

Saiba quais produtos e medicamentos podem ser úteis em viagens

Monte seu kit antes de viajar
Thinkstock/Getty Images
Monte seu kit antes de viajar
Nada pior do que estar no meio das férias e ser surpreendido por um incidente. Seja uma queimadura de sol, uma indigestão pelo exagero em bebidas e comidas ou alguma reação alérgica, tais problemas podem acabar com o dia ou até antecipar o final do divertimento. Por isso, é bom estar preparado.

O iG ouviu médicos e farmacêuticos para montar uma lista de produtos que podem salvar as viagens.

Uma farmacinha caseira, fácil de usar e à disposição sempre que necessário. Afinal, aquela cidade paradisíaca que você escolheu para se divertir pode ser linda e agradável, mas talvez não tenha uma farmácia com produtos de qualidade ou aberta 24 horas.

Em primeiro lugar, é importante levar medicamentos de uso contínuo e verificar se há quantidade necessária para os dias que você planeja ficar fora. Melhor ainda é levar um pouco a mais, para o caso de querer prolongar o passeio.

Leve protetor solar e use de maneira adequada . As queimaduras de sol são um dos principais problemas das viagens. E não pense que é algo de menor importância. Elas podem impossibilitar novas exposições ao sol por dias, antecipando o final das férias, e ainda causar febre, enjoo, fraqueza e dor de cabeça. Vale lembrar ainda que o efeito da exposição solar é cumulativo e pode causar câncer de pele, um dos mais incidentes no País .

Tudo para dar errado

Azia, queimação, intoxicação alimentar, indigestão, todos são problemas recorrentes em viagens de verão. O contexto ajuda. Primeiro, o calor reduz o tempo para ingerir o alimento com segurança. Aquele lanchinho que você leva para comer na praia pode se tornar um veneno em poucas horas, se não for devidamente armazenado.

“Leite, usado em algumas vitaminas em quiosques, é muito perecível”, alerta Patrícia Ramos, coordenadora do serviço de nutrição e gastronomia do Hospital Bandeirantes.

A especialista alerta ainda para o risco de consumir saladas e maionese fora de casa. “A salada precisa ser limpa com imersão em solução de hipoclorito para matar as bactérias e a maionese pode ter sido preparada com ovos. Há risco de infecção por salmonela”, afirma.

Leia: Os alimentos top 5 da contaminação

A ingestão de bebidas alcoólicas, muitas vezes combinadas com petiscos gordurosos, pode ser outro veneno. A bebida desidrata o corpo mais rapidamente, enquanto os petiscos gordurosos têm digestão mais lenta. Uma combinação perigosa para o malestar.

“Os frutos do mar, quando estão impróprios para consumo, liberam uma toxina que pode provocar reação alérgica”, alerta a nutricionista.

Primeiros Socorros: saiba como agir em caso de reação alérgia aguda

Além disso, parte das férias de verão acontecem no período de festa. E muita gente confunde festa feliz com fartura de alimentos, um convite aos excessos. Não há mágica para evitar problemas, é preciso pegar leve. Você certamente vai comer mais do que costuma, sendo os alimentos mais pesados do que o normal, num ambiente mais quente do que aquele de costume. O contexto é propício para passar mal, então contenha a empolgação e não exagere.

Vá ao médico

Ter uma farmacinha por perto é uma medida preventiva, que pode resolver situações delicadas. Mas não deixe de buscar uma opinião médica sobre qualquer problema, nem que seja para ele dizer que você deve continuar tomando as medicações que já estavam em sua mala de viagem. É preciso ter certeza de que os sintomas realmente indicam o problema que você suspeita ter.

“A brotoeja, por exemplo, é muitas vezes confundida com alergias”, explica o dermatologista Agnaldo Augusto Mirandez, diretor da clínica Perfetta. Ele esclarece que o suor em excesso pode obstruir alguns poros. Isso prejudica as glândulas sudoríparas e provoca vermelhidão, coceira e até bolhas.

“Parece uma alergia”, conta ele. Por isso, a avaliação de um médico é sempre necessária para acertar no diagnóstico. Veja a seguir uma lista básica. E lembre-se: não use qualquer medicamento sem orientação de um profissional de saúde.

Problema

Produto / Medicamento

Queimadura do sol

Caladryl (calamina)

Pasta d’água (óxido de zinco)

Micose adquirida em praia ou piscina

Isomax (isoconazol)

Daktarin (miconazol)

Canesten (clotrimazol)

Verme de gato e cachorro adquirido na areia (larva migrans)

Foldan (tiabendazol)

Dor de cabeça

Tylenol (paracetamol)

Novalgina (dipirona)

Cafi Lisador (dipirona e cafeína)

Vômito

Dramin (dimenidrato)

Plamet (bromoprida)

Pequenos cortes nos pés

Nebacetin (neomicina e bacitracina)

Pés ressecados devido ao sol

Lipikar Podologics Creme (hidratação dos pés)

Cetaphil

Má digestão

Sal de frutas

Eparema

Epocler

Estomazil

Azia

Kolantyl (hidróxido de alumínio e hidróxido de magnésio)

Gaviz (hidróxido de alumínio e carbonato de magnésio)

Abuso de bebidas alcoólicas

Engov (mepiramina, hidróxido de alumínio, ácido acetilsalicílico, cafeína)

Queimadura por água viva

Lavar com água ou vinagre e ir para hospital

Diarreia

Floratil (saccharomyces boulardii-17 liofilizado 100mg)

Repoflor

Lactiplan

Picada de mosquitos

Creme Fenergan (prometazina)

Dexametasona de uso tópico

Cólica abdominal

Buscopan Duo (escopolamina e paracetamol)

Alergia no geral

Claritin (loratadina)

Cólica Menstrual

Buscofem (ibuprofeno)

Febre

Tylenol (paracetamol)

Novalgina (dipirona)

Ibuprofeno

Traumas

Diclofenaco Gel

Gelol

Massageol

Salompas

Gases

Luftal (dimeticona)

Cortes / lesões

Merthiolate

Band-Aid Spray

Curativos

Gases

Esparadrapo

Algodão

Band-Aid

Soro fisiológico

Assepsia das mãos

Álcool Gel

Prisão de ventre

Óleo Mineral

Plantaben

Tamarine

Naturetti

Queimaduras

Unguento Picrato de Butesin

Paraqueimol

Farmácia Pague Menos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.