Tamanho do texto

Conheça as dicas para não descuidar da saúde antes, durante e depois da festa

Especialistas orientam como tornar a balada mais saudável
Getty Images
Especialistas orientam como tornar a balada mais saudável

Escolher a roupa, o local e a companhia  não é o único check list indispensável para sair à noite. A maratona de dançar até o dia amanhecer também exige cuidados com a saúde, ideais para que a ressaca , a indisposição, as calorias extras e as lesões não entrem de penetra na curtição.

Leia: Bebedeira de sábado é mais perigosa do que beber todo dia

A alimentação, afirmam os nutricionistas, é um dos pontos-chave. As pessoas já aprenderam que a refeição equilibrada e leve antes da prática de exercícios é crucial, mas nem sempre percebem que as pistas de dança também fazem as vezes de academia. Nestes locais, o corpo sofre desgaste semelhante ao enfrentado em uma corrida: quem dança por muito tempo tem os batimentos cardíacos acelerados, a pressão e a temperatura corpórea elevadas e também fadiga muscular.

No dia em que for sair, em especial na hora do almoço, a nutricionista Paula Gandin, especializada em consultoria esportiva, orienta que é importante dar atenção aos carboidratos.

"Se a festa vai ser longa, com várias horas de duração, o gasto de energia é maior, portanto o consumo de carboidratos merece destaque", diz.

"Estes alimentos vão fornecer energia e ajudar a manter a disposição. Prefira as opções integrais dos pães, massas e arroz e inclua, por exemplo, aveia, milho, mandioca como outras opções", sugere.

Antes de sair de casa, é importante comer algo. "Coma sempre antes de uma festa em que sabe que vai consumir bebida alcoólica, mas tente evitar alimentos gordurosos que dificultam a digestão e geram indisposição e cansaço quando a festa acabar. Faça uma refeição leve (salada com grãos, sopas, grelhados) cerca de duas horas antes de sair e mantenha-se hidratado."

Fabiana Honda, nutricionista da PB Consultoria em Nutrição, aumenta as opções do cardápio. "Alimentos ricos em ômega-3 (linhaça, peixes como salmão, atum, arenque), são indicados, pois esse nutriente é um vasodilatador, que melhora a circulação, facilita a chegada de oxigênio no cérebro, dando mais ânimo".

Água, frutas e camisinhas

Durante a festa, também há perda de nutrientes e, sem a reposição, algumas pessoas podem até ter a massa muscular afetada.

Empresa organizou projeto Balada Saudável para levar frutas e água aos festeiros
Divulgação
Empresa organizou projeto Balada Saudável para levar frutas e água aos festeiros
“Fizemos um levantamento com o público consumidor de nossos produtos e percebemos que uma parte importante perdia na balada tudo que havia conquistado durante toda a semana”, afirma André Alves da Silva, diretor da Órion, empresa de suplementos esportivos manipulados, para explicar o ponto de partida do projeto “Balada Saudável” em São Paulo.

A Órion decidiu montar tendas em festas, principalmente as de longa duração, e oferecer água para reidratar os festeiros e frutas para repor as substâncias perdidas nas pistas.

Água, muita água, é fundamental para evitar a desidratação (desmaios, calores e queda de pressão) e ainda compensar os efeitos da bebida alcoólica (mas não anulam, é bom ressaltar). No dia seguinte, o baladeiro hidratado durante a festa também sofre menos com a ressaca.

“Um dos principais termômetros de que o projeto funcionou é que os organizadores sempre nos falavam que, quando estávamos presentes, os atendimentos na enfermaria durante a balada despencavam”, conta Silva.

“Outro foco nosso é a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST). Para ficar em nossa tenda, receber a água e as frutas, é preciso receber um guia com os endereços sobre os locais com teste rápido de HIV e também camisinhas”, completa o diretor, que tem a prefeitura paulistana como um dos parceiros.

Depois daquela noite...

Usar preservativo em todas as relações sexuais é a maneira mais segura de evitar o contágio de doenças e também a encanação no dia seguinte. Os serviços de aconselhamento sobre aids existentes em todo País afirmam que a segunda-feira e o dia com mais movimento, com dúvidas sobre infecções após sexo desprotegido.

Leia também : O coquetel do dia seguinte da aids

Dieta

Em menor proporção (e muito menos perigoso), outro peso na consciência que aparece após a balada é com as calorias em excesso consumidas nestes ambientes. O álcool é de fato a principal fonte calórica nestes locais e a nutricionista Paula responde que apenas trocar o açúcar por adoçante da caipirinha, por exemplo, não adianta muita coisa.

"Um copo (200ml) de caipirinha com açúcar contém aproximadamente 270 kcal enquanto sua versão sem açúcar tem cerca de 210 kcal. No entanto, se observarmos os aspectos de ambas as opções são negativas", diz a nutricionista.

Segundo ela, o açúcar oferece apenas calorias e, para ser metabolizado pelo corpo, "rouba" nutrientes. Já o adoçante, é um composto químico não reconhecido pelo organismo e pode prejudicar o sistema de limpeza do fígado. Além disso, explica ela, o adoçante pode aumentar a resistência à ação da insulina.

"Este hormônio leva a glicose do sangue para as células. Sem ele, a propensão de acúmulo de gordura na região da barriga, os famosos “pneuzinhos” é maior".

Outro vilão da dieta, são os quitutes devorados após as maratonas de dança. As barracas de cachorro quente e hambúrgueres, normalmente, ficam a postos na saída esperando os esfomeados.

"Normalmente, as pessoas voltam à noite das festas e pensam logo em lanches calóricos e pobre em nutrientes, acompanhados de refrigerantes e doces. Isso não é uma boa escolha", alerta Paula Godin.

 "Na hora de escolher seu lanchinho da madrugada não opte por alimentos gordurosos, fritos e ricos em açúcar e sim por alimentos mais leves, como um suco, um lanche natural ou uma fruta, não esquecendo sempre da ingestão de água", completa Fabiana Honda. 

Continue lendo:

Banana ajuda na ressaca

Sucos que acordam e fazem dormir

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.