Tamanho do texto

Estudo agora quer confirmar se isso é inato ou é aprendido ao longo da vida

Um novo estudo mostra que obesos podem reagir mais intensamente a uma pizza saída do forno, mas não comem necessariamente mais cada vez que sentam à mesa.

Danielle Ferriday, estudante de pós-graduação da Universidade de Bristol, e seu orientador, Jeffrey Brunstrom, queriam saber se pessoas obesas e magras reagiam de forma diferente a “estímulos alimentares” e, em caso afirmativo, como a mente interpreta estes diferentes níveis de “vontade de comer”.

“Todos precisamos comer e todos nos deparamos com diversos estímulos relacionados à comida em nosso dia-a-dia”, disse Ferriday à Reuters Health.

Em seu estudo, Ferriday avaliou 52 mulheres de peso normal e 52 acima do peso. As participantes foram colocadas diante de uma pizza, sentindo o aroma da comida, e tiveram a salivação e as reações psicológicas analisadas.

Gordinhos não necessariamente comem mais quando sentam à mesa, mas podem acabar comendo com mais freqüência
Getty Images
Gordinhos não necessariamente comem mais quando sentam à mesa, mas podem acabar comendo com mais freqüência
Enquanto as participantes magras não apresentaram um grande aumento de salivação ao ver e sentir o cheiro da pizza, aquelas acima do peso salivaram cerca de 30% a mais uma vez que a pizza foi apresentada. Elas também demonstraram mais vontade de comer do que as magras, o que foi medido por uma escala padrão. O curioso foi que as participantes acima do peso não comeram mais do que as magras, mesmo depois de serem informadas de que poderiam comer o quanto desejassem.

Para os pesquisadores, o significado disso é que os obesos não necessariamente comem mais quando sentam à mesa, mas, devido a uma maior sensibilidade aos estímulos que a comida provoca, podem acabar comendo com mais freqüência.

“Isso é de grande importância, pois a sensibilidade pode encorajar a pessoa a beliscar e a desenvolver outros hábitos associados ao aumento de consumo de energia, ao ganho de peso e à obesidade”, pesquisadores escreveram na edição de julho da revista especializada International Journal of Obesity.

O estudo não conseguiu responder por que os obesos são mais estimulados pela comida. Ainda não está claro, por exemplo, se eles já nascem com essa sensibilidade ou se hábitos alimentares aprendidos e desenvolvidos ao longo do tempo causariam tal mudança. Embora o estudo tenha sido conduzido apenas com mulheres, Ferriday disse “suspeitar de que as descobertas se aplicam também aos homens”.

* Por Rachael Myers Lowe

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.