Bem-Estar

enhanced by Google
 

Danys Queiroz

Como evitar aquela "dorzinha lateral" na corrida?

Desconforto pode ser amenizado com redução do ritmo do exercício

24/03/2011 11:42

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-
Compartilhar:

“Esta dorzinha, também chamada de nó no flanco, acontece quando a musculatura ventilatória não consegue atender a demanda de oxigênio que o organismo exige. Durante a busca do controle respiratório na corrida, o corpo procura meios de se adaptar ao novo ambiente.

Leia: Correr faz muito bem às mulheres

Em algumas situações, os músculos respiratórios são os primeiros a dar sinais de fadiga, e a sensação é a de uma fisgada profunda na lateral do abdômen. A dor é localizada, mas é resultado de um desequilíbrio sistêmico, por isso não há como fazer um aquecimento específico para o local.

Uma boa sessão de aquecimento muscular geral e o desenvolvimento gradual do exercício, com velocidade progressiva e respiração controlada, são ótimas maneiras de evitar que esta dor aconteça.

Se o desconforto surgir durante a corrida, o ideal é diminuir a velocidade e respirar gradualmente, diminuindo o déficit de oxigênio e aliviando a dor, sem a necessidade de parar com o exercício.

A ingestão de água durante a prática também pode ajudar a restabelecer o organismo, variando a quantidade de acordo com a perda hídrica de cada um.

Em lugares muito frios, em que o ar inspirado é muito gelado, a incidência de nó no flanco pode ser maior, exigindo ainda mais controle no ritmo inicial da corrida”.

Danys Queiroz é professor da cadeira de musculação e personal trainer da Faculdade Novafapi, em Teresina (PI)
 

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo