Tamanho do texto

Diretora médica da empresa no País diz que é cedo para avaliar o impacto do medicamento no problema

Durante o 1º Fórum Brasileiro de Sexualidade Feminina, realizado nesta quinta-feira (17), em São Paulo, Sonia Dainesi, diretora médica no Brasil da marca Boehringer Ingelheim, fabricante do medicamento flibanserin, comentou a afirmação feita pelo Food and Drug Administration (FDA) sobre o medicamento criado para aumentar o desejo sexual feminino.

“É só o início do processo de avaliação. É muito precoce fazer comentários sobre o que vai acontecer, já que esses dados são preliminares”, comentou Sonia sobre a notícia de que a droga não teria impacto significativo na libido feminina.

Nesta sexta-feira (18), o FDA deve se reunir com um painel de especialistas para avaliar a segurança e a eficácia do flibanserin. “Vamos respeitar e acatar decisões no direcionamento de pesquisas e desenvolvimento da medicação”, afirmou.

Viagra feminino?

O remédio nem chegou ao mercado e já ganhou um apelido: “Viagra Feminino”. A relação com o medicamento masculino não agrada à Boehringer Ingelheim. “Eles agem em fases diferentes do ciclo de resposta sexual”, disse a médica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.