Tamanho do texto

Saiba como aproveitar a área comum do prédio e montar treinamentos personalizados sem pagar caro

Condomínio tem uma pista de cooper com cerca de 1 quilômetro
Bruno Zanardo/Foto Arena
Condomínio tem uma pista de cooper com cerca de 1 quilômetro
Que tal dançar balé no salão de festas do prédio? Ou ter aulas de ginástica ao ar livre, na quadra poliesportiva? A área comum de condomínios residenciais está sendo usada para programas de exercícios personalizados, elaborados de acordo com os perfis e preferências dos moradores. A principal vantagem é a comodidade.

“Se tivesse que pegar meu carro e enfrentar o trânsito, não conseguiria fazer ginástica e musculação cinco vezes por semana”, afirma advogada Pérola Sarti, de 33 anos.

Leia sobre exercícios
As vantagens e desvantagens de cada horário para malhar
Qual a atividade física ideal para você?
Esteira absorve três vezes mais o impacto da corrida
Peso livre ou aparelho: o que é melhor na musculação?

Ela é moradora do Condomínio Panamby, na zona Sul de São Paulo, onde a academia Bem Me Quer Sports montou uma série de programas de exercícios. “Podemos oferecer várias modalidades esportivas, como futebol, tênis, balé, judô e natação”, revela o sócio-diretor Marcello Cafaro.

O primeiro passo é identificar quais são as atividades de interesse dos moradores. “É judô para as crianças? Musculação? Dança de salão? Tem que ver o que eles querem para selecionar os professores certos e montar a grade de aulas”, explica Cafaro.

Leia sobre suplementos
Malhação com energético
Creatina: aliada ou vilã?
Suplementos alimentares podem ajudar mulher a emagrecer

O planejamento requer atenção a muitos detalhes. “Se tiver natação para criança, é preciso um número certo de professores dentro da água por segurança. A piscina também precisa ser aquecida”, esclarece Rodrigo Flores, sócio-fundador da HomeFit, outra empresa com foco em condomínios.

A empresa atua em condomínios de alto padrão, como o Reserva Granja Julieta, na zona Sul de São Paulo. “Aqui tem uma boa infraestrutura, o que permite realizar vários tipos de aulas”, conta Flores. A área comum conta com sala de musculação e de ginástica; duas piscinas, sendo uma aquecida; pista de corrida com cerca de 1 quilômetro entorno dos prédios e quadra poliesportiva.

Cultura do esporte

No começo, um grupo de moradores solicitou o atendimento personalizado para algumas aulas e pagou a parte pelo serviço. “A gente cobrava por boletos apenas de quem participava das aulas”, conta Leonardo Novais, também sócio-fundador da empresa.

Com a presença dos professores, outros moradores se interessaram e, após uma assembleia, ficou decidido que o serviço seria contratado pela administradora do condomínio e o custo das aulas seria dividido igualmente entre todos os 260 apartamentos.

Leia sobre cuidados com o exercício
Menstruação irregular pode indicar excesso de exercícios
Fratura por estresse atinge 25% dos corredores
Overtraining: o excesso que faz mal à saúde

“Isso dilui bastante a taxa por apartamento que, neste caso, ficou em R$ 60 (o valor total do condomínio é de aproximadamente R$ 900)”, conta Novais. Agora, todo morador pode participar.

Na assembleia, moradores de 61 apartamentos decidiram participar. Mas este número tem crescido. Existe uma espécie de cota de aulas que pode ser remanejada de acordo com a demanda.

“Se a gente percebe que uma aula não deu muito certo podemos mudar a programação e ver se existe algum pedido entre os moradores, algo que eles queiram fazer ou experimentar", explica. O contrato é renovado a cada seis meses e, neste momento, podem ser negociadas alterações no valor de acordo com as mudanças na demanda do condomínio.

Leia sobre alimentação
Frutas cítricas ajudam a emagrecer
O lado negativo dos alimentos saudáveis
Como perder peso de forma inteligente
Frutas secas concentram nutrientes

Cafaro, da Academia Bem Me Quer Sports, explica que é como um longo namoro a relação entre os professores e os moradores. “É preciso estar sempre vendo e revendo o que o grupo quer. Não podemos simplesmente oferecer pacotes fechados”, avalia.

Leonardo Novais acompanha aula de bicicleta na academia do condomínio
Bruno Zanardo/Foto Arena
Leonardo Novais acompanha aula de bicicleta na academia do condomínio
A família toda

Uma das vantagens citadas por muitos moradores é a comodidade de ter atividades para toda a família sem sair do condomínio. “Os adultos gostam de musculação, ginástica e pilates. As crianças adoram natação, balé, judô e futebol”, observa Cafaro. Há também hidroginástica, uma boa opção para a terceira idade.

“Fazemos até atividades de recreação infantil. Eventos como o Halloween atraem muita gente”, revela Novais. Para Pérola, moradora do Panamby, treinar no prédio em que mora ajuda a fazer amizade com a vizinhança, o que acaba sendo um incentivo para se manter fiel ao programa de exercícios.

Companhia para treinar é uma recomendação recorrente aos adeptos da malhação. Seja formando equipes para competições amadoras ou parcerias informais para treinar na academia, ter companhia sempre ajuda. “A pessoa conversa, se distrai, ai o exercício fica mais tranquilo”, diz Cafaro.

Leia também
Hipertensão: exercício ajuda a reduzir medicação
Sedentarismo é epidemia, dizem especialistas
Músculo também produz hormônios

A questão da segurança também tem seu peso. “Temos aulas de balé infantil à tarde e as crianças são trazidas pelas empregadas. Isso dá mais tranquilidade às mães que estão no trabalho. Elas não precisam ficar preocupadas, imaginando que algo possa ter acontecido na rua”, afirma Novais.

A Academia Bem Me Quer Sports já atende quatro condomínios. Já a HomeFit atende três, e outras duas empresas, nas quais oferece ginástica laboral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.