Tamanho do texto

Não são apenas aromas para perfumar o ar. Óleos essenciais podem fazer muito por seu bem-estar

Gotinhas de óleos essenciais no ambiente podem fazer muito por sua saúde
Thinkstock/Getty Images
Gotinhas de óleos essenciais no ambiente podem fazer muito por sua saúde
Você sente aquele aroma gostoso de lavanda no ar e, de repente, começa a ficar mais calmo, relaxado. Entra em um ambiente com cheirinho de tangerina e sente-se energizado. Não, não é mágica. São os óleos essenciais agindo na aromaterapia . Puros ou adicionados às fórmulas de vários produtos (óleos para massagem, aromatizadores de ambiente, sabonetes e até cremes de beleza), eles podem fazer muito por sua saúde e por seu humor e estado de espírito.

Não se trata de simples perfume. A essência é extraída de plantas. "Os óleos essenciais são obtidos a partir de flores, cascas, folhas ou frutos, por isto, são substâncias altamente concentradas", explica o professor Rodolfo Correa Lima do Grupo Cecth – Centro de Estudos do Corpo e Terapias Holísticas, do Rio de Janeiro.

"Esses óleos tem uma composição química e princípios ativos, que entram na corrente sanguínea quando aspirados ou massageados sobre a pele, levando informações de bem-estar para o corpo todo ”, completa Sandra Spiri, pesquisadora e psicoaromaterapeuta, presidente da Associação Brasileira de Aromaterapia e Aromatologia (Abraroma).

Leia também: Aromas para todos os cantos

“O olfato é o sentido que liga o mundo externo ao sistema neurológico. Logo que você sente o aroma do óleo essencial, o sistema límbico – região constituída de neurônios e ligada às emoções – é acionado. Já na pele, ele também é rapidamente absorvido e cai na corrente sanguínea”, completa o psicólogo e aromaterapeuta Zheca Catão, de São Paulo.

Modo de usar

Como o óleo essencial é muito concentrado – para se ter ideia, em média, 100 quilos de matéria (planta) produzem um litro de óleo –, ele precisa ser diluído, de preferência em um óleo vegetal base (de amêndoas ou sementes de uva). “Uma gota equivale de 20 a 30 xícaras de chá da planta. Não se deve inalá-lo ou usá-lo diretamente na pele”, adverte Zheca Catão.

"Atenção: as essências sintéticas adquiridas em lojas de departamento são na maioria das vezes produtos industrializados com origem mineral. Seu único benefício é deixar um aroma agradável no ar", diz o professor Rodolfo Correa Lima.

Você pode introduzir os óleos essenciais em seu dia a dia de várias maneiras:

Escalda-pés: jeito fácil de experimentar os benefícios dos óleos essenciais
Thinkstock/Getty Images
Escalda-pés: jeito fácil de experimentar os benefícios dos óleos essenciais
Banho ou escalda-pés : na água quente da banheira ou da bacia, coloque quatro (escalda-pés) ou oito gotas (banho) . “Como água e óleo não se misturam, a dica é dispersar o óleo essencial em um pouquinho de leite e daí misturá-lo à água, na hora em que for fazer o procedimento, para que o óleo não vaporize e perca sua ação terapêutica”, ensina Zheca.

Inalação : em uma bacia de água quente, coloque uma gota de óleo e respire o vapor, cobrindo a cabeça com uma toalha para melhor aproveitar a técnica.

Massagem : dilua quatro gotas de óleo essencial em um frasco de óleo vegetal e use para massagens corporais.

Ambiente : pingue duas gotas de óleo (de uma em uma hora, por exemplo) em um aromatizador de ambiente ou em velinhas. “No ambiente de trabalho, por exemplo, você pode colocar uma gotinha em um sachê e guardá-lo na gaveta. No seu quarto, pingue direto no travesseiro – mas durma no lado oposto ao que colocou o óleo”, sugere o aromaterapeuta.

Compressa : em uma toalha úmida e quente, coloque de uma a duas gotas do óleo mais indicado para o caso. Essa é uma boa forma de tratar contusões e fadiga muscular.

Indicações

Os óleos vegetais possuem diversos benefícios, porém também tem algumas contraindicações. "Pacientes em tratamento homeopático devem consultar seu médico antes de usá-los, já que alguns podem afetar a química homeopática. Grávidas e hipertensos devem evitar óleos mais estimulantes como o de alecrim. E cuidado com os óleos fotosensibilizantes, como os cítricos, que não devem ser usados antes da exposição ao sol", alerta o professor Rodolfo.

Alguns óleos funcionam bem e agem rápido para uns, mas não para outros. “Não se pode generalizar, mas existem algumas tendências”, explica a psicoaromaterapeuta Sandra Spiri.

Confira algumas sugestões :

Para combater o estresse : lavanda e manjerona.

Para acalmar o ambiente : lavandim ou óleos cítricos (limão, laranja, tangerina).

Para trazer clareza mental : limão, hortelã, pimenta, alecrim.

Para memória e concentração : alecrim.

Para relaxar : lavanda, rosa, bergamota.

Para induzir ao sono : bergamota ou lavanda.

Para combater a dor de cabeça : manjerona.

Para aliviar dor tensional : menta ou vetiver.

Para controlar a ansiedade : rosa, camomila ou lavanda.

Para combater a compulsão (por comida, por exemplo) : patchouli, gerânio, jasmim, sândalo.

Para dar energia : cítricos e alecrim.

Para trazer alegria : tangerina.

Para gerar equilíbrio emocional : gerânio.

Para aumentar a autoconfiança : gerânio ou eucalipto.

Para combater sintomas de TPM : sálvia e gerânio.

Para ajudar digestão : coentro.

Para tratar problemas de pele (acne, alergia, eczemas, picadas de inseto) : lavanda.

Para facilitar a concentração : alecrim ou olíbano.

Para ativar a sexualidade : ylang ylang.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.