Tamanho do texto

Boot camp gera gasto calórico elevado e proporciona condicionamento físico

Alunos fazem carrinho de mão na aula de boot camp
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Alunos fazem carrinho de mão na aula de boot camp
A inspiração para montar o boot camp, nome dado ao treino que combina atividades como flexões, agachamentos, fitball e saltos, veio de alguns exercícios utilizados pelo exército norte-americano e também adotados por militares brasileiros. “Nosso objetivo é atrair o público masculino e levá-los para as atividades aeróbias”, afirma Anderson Vieira, coordenador-técnico da academia Monday (unidade Plaza Sul).

Conheça também o treino da Tropa de Elite

A promessa é ganhar condicionamento físico rapidamente e queimar mais de 600 calorias por hora.

Apitos são usados para dar o clima militar, embora em tom mais lúdico. E no lugar dos movimentos ritmados típicos das aulas de aeróbicas, os alunos são separados em duplas e precisam simular um carrinho de mão. Um dos alunos segura as pernas do outro, que precisa andar com as mãos.

Eles X Elas

O foco no público masculino se justifica. Na grande maioria das academias, existe uma divisão clara entre os espaços usados por homens e mulheres. Eles ficam nas salas de musculação, em busca de tônus. Elas, nas de ginástica, para reduzir as medidas.

O ganho de massa muscular, almejado pela ala masculina, tem muitos benefícios. Contudo, a musculação não é um exercício completo, já que deixa a desejar no quesito cardiovascular.

Atividades aeróbias complementam a musculação ao dar ênfase no funcionamento dos pulmões e exigir mais do coração .

O ganho de condicionamento físico e de massa magra é alcançado com a combinação de exercícios, alimentação e descanso, tudo na dose certa e com frequência regular. “O excesso de exercício, em jejum, pode causar catabolismo”, alerta Márcio Acuaviva, coordenador de musculação da Needs Academia. Trata-se da perda de massa muscular que acontece quando o corpo está sendo cobrado em demasia e precisa de mais energia.

Vieira sugere o boot camp uma vez por semana, combinada com outras atividades, como correr na esteira . É possível ainda fazer um planejamento de evolução no treino, com até oito propostas de trabalho diferentes, sendo cada uma delas focada em um grupo muscular específico.

Leia também: Correr na esteira favorece a musculação

“Existe treino em circuito, treino individual ou em grupos”, enumera Vieira. Em uma das atividades, o instrutor propõe uma série de movimentos em determinado tempo. Depois, o mesmo deve ser feito em intervalos cada vez menores.

“Criamos uma competição na aula, fazemos até cabo de guerra, que serve como estímulo para o condicionamento físico”, aponta. Tais competições, propostas de forma lúdica, são vistas como uma forma de criar e aumentar o vínculo entre os alunos. Isso é tido como um fator importante para criar um ambiente agradável de treino e, assim, mais convidativo ao aluno.

As aulas de boot camp podem ser contraindicadas para portadores de hipertensão arterial ou diabetes . Os treinadores recomendam uma avaliação médica antes de começar o programa de treinos.

Continue lendo

Qual a atividade física ideal para você?

Check-up: o que é e quando fazê-lo

Ajude a prevenir lesões durante a ginástica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.