Tamanho do texto

Um novo teste de DNA que chegou ao Brasil pode agilizar a identificação dos casos de infecção por bactérias com o gene KPC

selo

Embora as chamadas superbactérias venham sendo detectadas no País desde 2008, passaram a se tornar um problema de saúde pública em outubro do ano passado, quando os surtos começaram a se disseminar por pelo menos dez Estados.

Testes convencionais levam cerca de três dias para ficar prontos e não determinam com precisão qual é o mecanismo que torna a bactéria resistente aos antibióticos. Já o EasyQ KPC, um exame de DNA fabricado pela empresa francesa bioMérieux e lançado em outros 40 países, possibilita confirmar em cerca de duas horas a presença do gene KPC, responsável pela produção da enzima carbapenemase, que degrada diversos antibióticos.

“Quanto antes se detecta a presença do KPC, mais rápido se toma medidas para evitar a disseminação das bactérias e o aparecimento de novos surtos, com o isolamento dos pacientes”, explica o farmacêutico Marcelo Pilonetto, diretor-geral do Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR). A entidade é a primeira do País a adotar o novo teste. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.